Ascensão do Campeonato Sergipano!!!

0

Comentário de Raniel de Jesus

Nos últimos anos se falou muito a respeito das fórmulas dos campeonatos do futebol brasileiro. Alguns contestavam o modelo com turno, returno, quadrangulares, hexagonais e por aí vai… Pois bem, com o lançamento do campeonato por pontos corridos, as reclamações se voltaram, mais uma vez, contra a Confederação Brasileira de Futebol – CBF, e o argumento da crítica era que este tipo de disputa não daria certo por aqui, já que o Brasil além de possuir uma dimensão continental, possuía um torcedor que estava habituado a campeonatos onde duas equipes chegavam a uma final, decidindo o título máximo em jogos de confrontos diretos. Avaliava-se ainda que o modelo só dava certo na Europa, porque são países geograficamente pequenos, e cuja cultura permitia tal modalidade de disputa.

 

Em 2003, ano em que foi lançada à idéia por aqui, nem torcida nem equipes haviam se preparado para a mudança do modelo. O clube que mais acreditou acabou sendo premiado com a conquista da “Taça”. Naquele momento o Cruzeiro de Belo Horizonte, dirigido tecnicamente por Wanderley Luxemburgo, acabou ganhando o Campeonato Brasileiro de forma antecipada, deixando certa preocupação em relação às próximas temporadas. No ano seguinte, os dirigentes se conscientizaram e o Brasileirão ganhou nova motivação, com Santos, Atlético do Paraná e São Paulo disputando o campeonato “palmo a palmo”, praticamente até as últimas rodadas. No final deu Santos que, por “coincidência”, também era dirigido por Luxemburgo.

 

 A revelia da critica, tudo levava a crer que a nova fórmula finalmente estava emplacando em nosso futebol.

 

Ao enxergarem com visão futurista o modelo adotado pela CBF, os dirigentes sergipanos resolveram implantar em nosso futebol a fórmula por pontos corridos. Ai começou em âmbito local todas as celeumas a que nos referimos anteriormente. Mesmo antes do início do Sergipão 2005, muitos reprovaram o modelo dizendo que dessa forma o Futebol Sergipano iria se acabar de vez, engano de quem pensou assim, pois a cada rodada o campeonato vem ganhando motivação, obrigando os dirigentes investirem mais nas equipes, tendo em vista, uma maior presença de público nos estádios.

 

Assim, se naturalmente o campeonato já estava ganhando credibilidade, imaginem os senhores, com o lançamento do “Gol da Sorte”, não deu outra! Na segunda rodada, após a implantação do projeto, já se registrou um maior número de torcedores nos estádios.  Por sua vez, os dirigentes têm demonstrado total interesse em contratar novos valores para melhorar ainda mais a qualidade dos jogos, fazendo com que o Futebol Profissional de Sergipe conquiste novos espaços, garantindo a viabilidade do mesmo não só como instrumento de lazer, mas também como seguimento sócio-econômico capaz de garantir o sustento das famílias que dele dependem para sua sobrevivência.

 

Atletas e Técnicos também têm procurado fazer sua parte, garantindo dentro de campo a realização de grandes espetáculos, a exemplo do que aconteceu no último domingo no jogo entre Sergipe e Confiança no Batistão. Na quinta feira que passou outra partida emocionante foi disputada no Estádio Presidente Médice, envolvendo as equipes do Itabaiana e Associação Desportiva Confiança, já na rodada deste sábado o maior atrativo se deu na cidade de Lagarto, aonde o Club Sportivo Sergipe e o Atlético Clube Lagartense fizeram uma apresentação digna de se ver, Gol pra lá… Gol pra cá, resultado, um 3 x 3 que no mínimo, motiva o retorno do público que ali se fez presente aos próximos jogos das suas equipes.

 

É esse o caminho, agora só resta acreditar!

 

Por: Raniel de Jesus Pereira

  

 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais