Batalha fala sobre Gol da Sorte e reforma do Parque dos Cajueiros

0

Hoje pela manhã, em entrevista ao programa “Fala Sergipe”, da Rádio Atalaia AM, o secretário de Estado do Esporte, Carlos Batalha, comentou sobre os boatos que corriam a cidade, desde a última sexta, dando conta de que o Gol da Sorte iria acabar. De acordo com o secretário o que houve foi uma interpretação truncada de uma colocação do secretário de Estado da Fazenda, Gilmar Mendes.

“Na última sexta-feira aconteceu uma grande festa na Orla onde o governador João Alves Filho, com a presença dos dirigentes de dos times de futebol, entregou todos os prêmios do Gol da Sorte equivalentes ao Campeonato Sergipano. Na ocasião ele autorizou ainda o Banese a dobrar a ajuda que dá ao Sergipe e ao Itabaiana para o Campeonato Brasileiro da terceira divisão. Mas em momento nenhum se disse que aquele seria o fim do Gol da Sorte”, afirma Batalha.

O secretário explicou que a colocação de Mendes foi de que estava encerrando-se aquela etapa do Gol da Sorte. “Para cada campeonato é feita uma planilha pela Secretaria da Fazenda de acordo com o número de jogos. Então para cada etapa é feito um planejamento diferenciado. Na próxima semana estaremos sentando com a Sefaz para definir a chancela do próximo semestre”, detalhou Batalha reafirmando que o Gol da Sorte continuará durante este ano e que as pessoas podem continuar a trocar a suas notas normalmente.

Outro assunto que foi comentado pelo secretário de Estado do Esporte foi a reforma do Parque dos Cajueiros. Batalha disse que, também na sexta-feira, teve uma reunião com o governador João Alves Filho e que este autorizou a reforma imediata do parque. “Na sexta-feira, tão logo terminou a solenidade na Orla, eu e o governador trabalhamos até cerca de 1h30. Na ocasião, eu apresentei a ele um projeto de reforma do Parque dos Cajueiros e ele na mesma hora autorizou a execução” contou Batalha. 

O secretario de Estado do Esporte explicou que a obra será executada em duas etapas. A primeira segundo ele será imediata. Tanto que, hoje, às 9 horas, ele estaria encontrando-se com o secretário de Estado da Infra-estrutura, Luiz Durval, para discutir os termos da carta convite, com o objetivo de que as obras comecem o quanto antes. Ela deve abranger as quadras esportivas, a cidade da criança, os brinquedos e quiosques. A segunda, que deve levar mais tempo, vai estudar uma opção para o local onde era o parque aquático.  

“O parque aquático não existe mais, além disso, reconstruí-lo hoje seria um investimento altíssimo para o Estado. Fora isso, andamos colhendo informações e percebemos que esse tipo de empreendimento em cidades litorâneas não trazem bons resultados. Só seria viável para o Governo se uma grande empresa resolvesse assumir o parque, mas isso é difícil porque a estrutura está destruída. Atualmente, ele é um foco de doenças e a nossa primeira atitude será aterrar a piscinas. Para realizar um projeto de uma nova opção de lazer no local, o governador determinou que se contrate uma equipe de arquitetos para elaborar uma proposta”, concluiu Batalha. 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais