Craque da seleção francesa conversa com o Portal Infonet

0
Amandine Henry (Foto: Igor Matheus/ Portal Infonet)

Ela é apontada pela imprensa francesa como a craque, o cérebro, a pulsação da seleção francesa de futebol feminino. E até ontem estava em Salvador para defender tudo isso em campo. Aos 26 anos, a meio de campo Amandine Henry é realmente joia rara no seu time: única jogadora da seleção presente no crescente futebol dos Estados Unidos, a atleta foi substituída no segundo tempo contra a Nova Zelândia só para ser poupada. Após a vitória desta terça-feira, Amandine conversou com o Portal Infonet.

Entusiasmada, a jogadora francesa exaltou o bom resultado que seu time conseguiu em Salvador. “Foi uma boa vitória. Graças a ela, nos classificamos para a próxima fase e estamos ainda mais animadas com o torneio”. Mas ela também já pensa no Canadá, adversário da próxima fase. “Sabemos que as canadenses são jogadoras bem preparadas fisicamente, muito boas. Precisamos nos recuperar para nos prepararmos bem, pois este será um jogo difícil”.

Consciente dos adversários que pode enfrentar depois do próprio Canadá, Amandine mostrou admiração com a seleção brasileira. “Vi apenas o jogo delas contra a Suécia. Um time capaz de marcar tantos gols só pode ser um time muito bom”. Amandine conta ainda que a rotina de treinos não permitiu que as francesas desfrutassem o Brasil, mas mesmo assim as impressões são boas. “Infelizmente ainda não deu pra ver muita coisa. Nós vamos de ônibus do hotel para o treino, do treino para o estádio. Mas para nós pareceu ser um ótimo lugar”.

Por Igor Matheus
Salvador-BA

Comentários