Estádios de futebol mostram que novo sistema de ingresso, com tecnologia brasileira, evita fraudes, cambistas e desperdício

0

Alexandre Guimarães
O custo por ingresso por jogo chega a ser 50% menor com o uso de um sistema mais moderno para acesso aos estádios. Desenvolvido no Brasil pela Telemática, o sistema já vem sendo utilizado pelo Atlético Paranaense,pelo Figueirense, pelo Estádio do Mangueirão (Belém-PA, utilizado pelos clubes, Payssandu, Remo e Tuna-Luso) e pelo Ginásio de Esportes de Macaé-RJ e inibe a ação de cambistas e fraudadores.

Dados da Confederação Brasileira de Futebol (disponíveis no site da CBF) apontam o Atlético Paranaense como líder em eficiência na venda, distribuição e consumo dos ingressos. Enquanto o Figueirense apresensa um índice de  ingressos não vendidos abaixo de 5%.

Segundo o ranking de faturamento da CBF, o Atlético Paranaense (6o colocado) e Figueirense (8o) estão à frente de grandes clubes, como o São Paulo (11o colocado),  Flamengo (12o), Fluminense (19o),  Internacional de Porto Alegre (10o) e Cruzeiro-BH (21o). Isso mostra “a vantagem financeira conquistada pelos clubes que adotaram o sistema da Telemática”, ressalta Ricardo Netto, gerente comercial da empresa.

Embora a concorrência aponte o custo de instalação do sistema como problema, os números da CBF e da Federação Paulista de Futebol mostram que esse custo inicial é rapidamente absorvido e, gera economia em pouco tempo. . Segundo Netto, o investimento médio de um sistema para um estádio de grande porte é amortizado num período de aproximadamente 12 meses. 

Fim das fraudes e dos cambistas

O sistema da Telemática utiliza a tecnologia de cartões indutivos (como os utilizados em telefones públicos) ou os chamados smartcards (sem contato, utilizados em sistemas de controle de acesso de alta segurança). Ambos incorporam sistemas de validação do ingresso cuja segurança é dada por modernas tecnologias de criptografia que impedem a ação de fraudadores..

Cada smartcard possui um chip de silício (como dos computadores) dentro dele, enquanto os indutivos são produzidos “por processos tão sofisticados que inibem a ação dos fraudadores que buscam dinheiro fácil”, lembra Netto.

Sem filas

Pelo novo sistema, os ingressos aos estádios (os cartões, portanto) são apenas “validados” na bilheteria, por um processo que demora menos de 2 segundos e permite a passagem nas catracas em apenas um segundo. Isso evita a formação de filas para compra e entrada, uma das principais reclamações de clubes e torcedores

Sem desperdício

No processo convencional (ou o mais utilizado até agora), uma grande quantidade de bilhetes deve ser impressa com antecedência e, caso não sejam vendidos, são um prejuízo para os clubes. Pelo sistema da Telemática, só são validados os ingressos efetivamente vendidos, evitando qualquer desperdício.

Sobre a TELEMÁTICA
A Telemática Sistemas Inteligentes é uma empresa especializada em soluções de controle de acesso inteligente, CFTV (Circuito Fechado de Televisão) e  bilhetagem eletrônica de transportes públicos, estádios e eventos. Entre os principais clientes da Telemática estão empresas publicas e de capital misto,  industrias, comércios, clubes de futebol, universidades privadas, empresas de transporte público, hospitais e maternidades.

Fundada em 1980 com capital 100% nacional e sede própria, a Telemática foi pioneira em
sistemas de controle de acesso on line e automação de ponto, tecnologia até então inexistente no Brasil. Está presente em 54 municípios de todo o país, com  mais de 60 mil terminais instalados em cerca de 8.000 clientes, atendendo cerca  de 2,5 milhões pessoas.

A Telemática faz parte do Grupo ICA que possui mais de 1.200 colaboradores. O  carro-chefe do grupo é a ICATEL – ICA Telecomunicações, funda em 1975 e considerada a maior empresa do mundo na área de telefonia publica. Do Grupo ICA também fazem parte, como controladas, outras  cinco empresas: a ICE – Indústria de Cartões Especiais, fabricante de cartões indutivos para telefones públicos, com tecnologia e padrões de segurança e controle estabelecidos pelos órgãos reguladores nacionais e internacionais; a ICATEL-Bolivia, fornecedora de produtos e serviços para a América Latina, com parque operacional instalado em Santa Cruz de La Sierra (Bolívia); a Icatel Telemática Serviços para instalações, manutenção e suporte nos segmentos de telecomunicações controle de acesso e ponto, segurança e monitoramento; a STCE China, fornecedora de sistemas de telefonia pública, na China com tecnologia Icatel; e a Venko Brasil, fabricante  de telefones celulares com tecnologia GSM

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais