Futebol masculino: um resumo da primeira rodada

0
Mexicano Lozano tenta marcar mais um, mas parou no goleiro alemão Horn – México 2 x 2 Alemanha (Foto: Igor Matheus/ Portal Infonet)

A cerimônia de abertura das Olimpíadas nem aconteceu e o futebol olímpico masculino já deu seu primeiro passo na última quinta-feira, 4. Foram 32 gols em oito partidas – uma média absurda de quatro por jogo. Só um confronto contou com nove gols. Um outro, com oito. E nos dois jogos do grupo do Brasil, as redes não balançaram uma única vez. Sejam bem-vindos ao futebol masculino dos Jogos do Rio 2016 – uma modalidade que promete chocar o mundo com resultados imprevisíveis.

No grupo A, a Olimpíada ainda não começou. Com dois jogos em 0 a 0, Brasil, África do Sul, Iraque e Dinamarca frustraram suas torcidas e “adiaram” suas verdadeiras estreias para a segunda rodada. A seleção brasileira, por sinal, dá sinais de que não deve ter uma trajetória muito promissora na competição. Jovem e emocional – esta última característica aí cara a qualquer time brasileiro -, a equipe não parece saber administrar a terrível pressão de ter a medalha de ouro como obrigação e redenção do futebol brasileiro. É como na Copa: o problema não era necessariamente técnico, como gritavam os comentaristas; era emocional. Não existe tática nem técnica nem chute se a perna treme.

O grupo C, que o Portal Infonet acompanha ao vivo direto de Salvador, foi um dos mais interessantes. Primeiro pela quantidade de gols: foram 12, atrás apenas dos 13 da chave B. Segundo pelo resultado histórico de um time sem tradição em goleadas: a Coreia meteu 8 a 0 no inexpressivo Fiji e respira ares de potência. E terceiro por já ter começado com um jogo de alto nível: México e Alemanha poderia ser uma final olímpica, mas foi um duro jogo de primeira fase. Os mexicanos saíram na frente, tomaram o empate, ficaram na frente de novo, cantaram vitória cedo demais e os alemães, impassíveis, cavaram nova igualdade.

Na chave B, Suécia e Colômbia também empataram em 2 a 2. Mas a grande sensação do grupo foi o já mítico confronto entre Nigéria e Japão. Os nigerianos chegaram a Manaus no mesmo dia da partida, tiveram de aguentar o desgaste da viagem e mostraram que sabem tanto fazer gols como tomar: 5 a 4 diante dos japoneses que treinaram em Aracaju.  E se na chave D ninguém ligou muito para o jogo de azarões entre Honduras e Argélia – que terminou com vitória hondurenha por 3 a 2 –, foi por causa da derrota da Argentina olímpica.  Diante da seleção sub-23 portuguesa, que colhe os louros do título europeu da seleção principal, os hermanos ficaram devendo e tomaram de 2 a 0. Só que a Argentina é a Argentina. Uma vez mordidos, eles devem se doar em dobro – coisa que a seleção brasileira, mais assustadiça, não tem costume de fazer.

Confira abaixo como serão os próximos confrontos. Todas as partidas serão no domingo, 7.

GRUPO A
19h DINAMARCA X ÁFRICA DO SUL
22h BRASIL X IRAQUE

GRUPO B
19h SUÉCIA X NIGÉRIA
22h JAPÃO X COLÔMBIA

GRUPO C
13h MÉXICO X FIJI
16h ALEMANHA X COREIA DO SUL

GRUPO D
15h HONDURAS X PORTUGAL
18h ARGENTINA X ARGÉLIA

Por Igor Matheus
De Salvador/BA

Comentários