Hora diz que gol Tricolor não foi legal

0

O árbitro Antonio Hora Filho, pertencente ao quadro da Federação Sergipana de Futebol, teve 86 minutos de desempenho impecável, na partida entre Fortaleza e Corinthians, quarta-feira, no Castelão, pela Copa do Brasil, tendo inclusive recebido elogios dos dirigentes do Fortaleza e da crônica esportiva. No entanto, um lance duvidoso aos 44 minutos do segundo tempo tirou todo o brilho da atuação do arbitro sergipano. Para os torcedores e dirigentes do Fortaleza, Antonio Hora Filho teria anulado erradamente o gol da classificação, marcando falta do ataque cearense, contra o goleiro Fábio Costa, falta que para eles, realmente não existiu. Em cima desse detalhe, as críticas foram o tom dos comentários após o jogo, levando inclusive um dirigente do Fortaleza a invadir o campo, para agredir ao árbitro Antonio Hora. As criticas continuaram na manhã de ontem, por conta do gol mal anulado, sob alegação de falta no goleiro do Corinthiano. No entanto, na primeira oportunidade que teve para justificar sua decisão, Antonio Hora disse que o lance teve mais de uma irregularidade. “No ângulo em que me encontrava, a falta foi visível, no goleiro do “Timão”, lance que até poderia passar despercebido do árbitro e da maioria dos torcedores. Mas a irregularidade que marquei no lance, foi o toque de mão, do atacante Ronaldo Angelim. Ontem vi na televisão, que estava correto, pois antes de finalizar, ele ajeita a bola com a mão”, justifica Hora. O lance polêmico visto pelo árbitro sergipano também foi comentado pela crônica esportiva nacional. Ontem, no Programa da Rádio Bandeirantes “Esportes Agora”, em sua primeira edição, o jornalista Jorge Kajuru reprisou o lance e juntamente com o técnico da Seleção Brasileira, Carlos Alberto Parreira, se convenceu da irregularidade do lance, com Kajuru ainda afirmando, que o árbitro apitou antes da conclusão do lance. Observadores da CBF que viram o lance no dia de ontem, deram a mesma interpretação. Antonio Hora que na tarde de ontem retornou a Aracaju, disse que apesar da revolta dos cearenses, pela anulação do gol e a conseqüente desclassificação, ele estava com a consciência tranqüila, de que não errou na sua decisão. “A verdade é que o árbitro tem questões de segundo para definir um lance importante e assim está passível de erro. Mas nesse lance especifico, decidi com a consciência tranqüila, de que estava seguindo o caminho mais correto”, justificou Antonio Hora. SEGUNDA DIVISÃO Ontem pela manhã, ainda em Fortaleza, Antonio Hora foi informado de que neste domingo, mas uma vez estará sendo avaliado por todo Brasil. Ele foi sorteado como árbitro central da partida entre Sport Clube do Recife e Portuguesa de Desportos. A partida é válida pela Serie B, está marcada para as 11:00 horas do domingo, na Ilha do Retiro e será o jogo a ser mostrado pela TV na manhã deste domingo.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais