Julgamento define punição para gandula que impediu gol

0
Tribunal de Justiça Desportiva julgou o caso nesta terça-feira, 10 (Fotos: Portal Infonet)

O gandula Givanilson dos Santos Alves, conhecido como Rinha, que invadiu o gramado e impediu em cima da linha um gol do Sergipe no estádio Caio Feitosa, em Porto da Folha, no último domingo, 1º, foi julgado na manhã da terça-feira, 10. De acordo com decisão, não só ele como a Associação Atlética Guarany serão punidos com multa e suspensão temporária de atividades, e perda do mando de campo de duas partidas e multa, respectivamente.

Segundo Ruy Carlos Almeida, secretário do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD), o órgão verificou a existência de ocorrências na partida que ocorreu entre Guarany e Sergipe, e a procuradoria ofereceu as denúncias. “O time foi enquadrado no artigo 213, parágrafo 1º do Código Brasileiro De Justiça Desportiva (CBJD), que trata sobre o lançamento de objetos no campo, e também no artigo 191, inciso terceiro que fala sobre a falta ou a dificuldade de cumprimento do regulamento geral ou especial de competição”, explicou Ruy, que ainda disse que o valor a ser pago pelo Guarany é de R$ 950.

Com relação ao gandula, Ruy informou que ele foi enquadrado no artigo 258-B, que versa sobre a invasão do local da partida, e no artigo 243-A por atuar de forma contrária à ética desportiva com o fim de influenciar o resultado de partida. “Por conta dessas práticas, Givanilson foi penalizado com multa de R$ 500 e duas suspensões de 180 e 360 dias, respectivamente”, esclareceu.

Recursos

Ruy Almeida, secretário do TJD, disse que tanto a promotoria quanto o Guarany podem entrar com recursos

O secretário do TJD informou que, tanto a promotoria quanto o time do Guarany poderão entrar com recursos em um prazo de três dias após a realização do julgamento. Ele ainda explicou que, caso o resultado do pedido de recursos não agrade novamente, o caso poderá ser julgado pelo Supremo Tribunal de Justiça Desportiva.

Decisão

A equipe do Portal Infonet entrou em contato com o presidente do Sergipe, Jenisson Silva, para saber a opinião do clube com relação a decisão do julgamento. Ele informou que não se opõe ao resultado, e que, de acordo com a legislação, a decisão foi ponderada e de bom senso.

Por Monique Garcez

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais