Pedal pela Paz movimenta Calçadão da 13 de julho

0
8ª edição do Pedal pela Paz movimentou calçadão da 13 de julho (Fotos: Portal Infonet)

A noite no Calçadão da 13 de julho, nesta segunda-feira, 13, foi diferente para aqueles que normalmente freqüentam o local. É que mais uma edição do Pedala pela Paz foi realizada pela ONG Ciclo Urbano e atraiu ciclistas de diversos bairros de Aracaju. Em sua 8ª edição, o passeio ciclístico buscou promover uma ação educativa na luta por um trânsito seguro.

De acordo com Elisângela Valença, assessora de comunicação da Associação Ciclo Urbano, a iniciativa consolidou-se a partir do falecimento do ciclista Rogério Esteves, 40 anos, funcionário da OAB/SE, que foi atropelado e faleceu no dia 13 de dezembro do ano passado.  “A intenção não é somente relembrar a morte dele, na verdade queremos cobrar um trânsito mais seguro para que outras mortes não venham a acontecer. As pessoas precisam entender que o trânsito é de todos que além dos motoristas e motociclistas, pedestres, ciclistas e cadeirantes têm que ser respeitados. Aracaju por ser uma cidade plana e fácil de ser pedalada, pode facilmente se tornar a capital das bicicletas”, comenta Elisângeela.

Professora Nara Sales tomou conhecimento do passeio pelas redes sociais

A professora de matemática, Nara Sales, tomou conhecimento do movimento pelas redes sociais. “Eu já andava de bicicleta na Orla de Atalaia, mas sempre tive um pouco de medo de pedalar fora das ciclovias. Com o grupo, tive auxílio no trajeto até a 13 de julho e senti mais segurança. Sem falar que é legal para fazer novas amizades e ter novas experiências aliando saúde e esporte”, elogia a professora.

Apesar de ser recém- chegado ao time, o cabeleireiro Emanuel Gouveia já pedala há quatro anos. “Nós que andamos de bicicleta sofremos muito, pois na ciclovia é seguro, mas fora dela, nem todos respeitam os limites. Venho a este tipo de evento, pois acredito que a partir destas coisas, a conduta das outras pessoas e até mesmo dos próprios ciclistas melhore”, opina Emanuel.

Ações

Recém-chegado ao grupo, Emanuel já pedala há quatro anos

Além do Pedal pela Paz, a ONG também promove oficinas, debates e panfletagens educativas. “A intenção é passar uma orientação para as pessoas de como se portar no trânsito e esclarecer que o ciclista não está lá para atrapalhar. Falamos também dos benefícios do ato de pedalar, como por exemplo, os bate papos e troca de idéias, coisas que no carro não podemos ter”, finaliza a assessora Elisângela Valença.

O Pedal pela Paz acontece todos os meses, no dia 13, para estimular um trânsito mais cidadão. Qualquer pessoa que tenha cidadania e paz no trânsito pode participar.

Comentários