Seleção de Ginástica Rítmica destaca experiência

0

(Foto: Ascom Seel)

A busca pelo aperfeiçoamento já de olho no próximo ciclo olímpico levou a Seleção Brasileira de Ginástica Rítmica de Conjunto a um destino inédito. Desde o dia 18 de novembro, as atletas treinam em São Petersburgo, na Rússia, onde ficam até o dia 6 de dezembro. O País é considerado a maior referência na ginástica rítmica mundial e treinar na grande escola da modalidade já está proporcionando às brasileiras uma experiência incalculável. A Seleção Brasileira de Ginástica Rítmica de Conjunto, tem como base de treinamento a cidade de Aracaju, no Centro Nacional de Treinamento da Ginástica Brasileira.

A programação conta com treinamentos com duração de oito a dez horas por dia, divididos entre as aulas de balé clássico, preparação física e preparação tática, com a criação das novas coreografias, que estão sendo desenvolvidas pela técnica russa Inna Bistrova, responsável pela montagem de fita e arco que conquistou a medalha dourada nos Jogos Olímpicos de Londres-2012.

De acordo com a técnica da Seleção de Conjunto, Camila Ferezin, a equipe aprovou as novas coreografias, que vão exigir ainda mais treinamentos. "Após a nossa primeira semana de trabalho, a técnica Inna montou a série de maças e ficamos muito felizes com o resultado. Como é uma coreografia mais complexa e dinâmica, que necessita de maior domínio do aparelho, vamos precisar de muito treino, inclusive com as aulas que já estamos tendo com um malabarista de circo, o que complementa o trabalho de manejo do aparelho", contou.

A ginasta Dayane Amaral, integrante da Seleção, afirma que o estágio tem sido muito proveitoso. "Estamos nos entregando ao máximo nos treinos para absorvermos todas as correções possíveis para o nosso crescimento", disse.
Dayane destaca também a importância em treinar na Rússia. "A Rússia é a grande potência olímpica na modalidade. Aqui, de perto, podemos comprovar como a modalidade é realmente forte. Assim como no Brasil, onde as crianças nascem com a bola no pé, aqui as meninas nascem com os aparelhos nas mãos", acrescentou.

Débora Falda ressalta a experiência adquirida. "Treinar aqui na Rússia está sendo muito bom para todas nós. O principal objetivo é a elaboração de duas novas coreografias para o próximo ciclo. Além disso temos aulas de balé diariamente com uma renomada professora do balé Kirov, o que nos ajudará ainda mais na execução das séries", finaliza.

Além de Dayane e Débora, a Seleção Brasileira de Conjunto é composta por Bianca Maia Mendonça, Jéssica Maier, Eliane Sampaio, Amanda Pfleger, Beatriz Francisco, Fabielle Cassol e Mayra Gmach. Bruna Rosa é a treinadora de balé e Anna Danielyan a tradutora que acompanha o grupo.

Fonte: Ascom Seel

Comentários