Técnicos avaliam empate entre Socorrense e Lagarto

0
Elenilson Silva, do Lagarto (fotos: Igor Matheus/ Portal Infonet)

Após o apito final de Socorrense e Lagarto, ninguém comemorou. O empate, que não interessava a ninguém, fez a melancolia tomar conta de ambos os bancos de reserva. De um lado, o técnico alviverde Elenilson Silva sentava-se resignado. Do outro, Edmilson Santos, do Socorrense, desapareceu completamente e foi às pressas para o vestiário.

Elenilson Silva só conseguiu arrumar uma palavra para descrever o jogo desta quarta: “complicado”. “A equipe errou muitos passes, finalizou mal e acabou levando um gol de empate no final. Agora é esperar o resultado de amanhã de Estanciano e Confiança. Vamos torcer pelo Confiança, e se ele vencer, trabalharemos para pegar o Estanciano em Itabaiana”.

Dentro do vestiário do Socorrense, o clima era pesado. A comissão técnica, cabisbaixa, não reagia, e era possível ouvir o choro de um ou outro atleta. No meio do recinto, Edmilson Santos, de braços cruzados, avaliou o empate como péssimo. “Queríamos a vitória. Mas saliento aqui a vontade dos jogadores, a determinação para correr em busca do empate mesmo com um homem a menos. Então, estão de parabéns os atletas”.

Edmilson Santos, do Socorrense

Santos disse ainda que acredita que não faltou nada ao time para vencer a partida. “Oportunidade de marcar gol tivemos. Mas não é fácil jogar no Batistão com um homem a menos. Lutamos, corremos, conseguimos o empate e suprimos a falta de um colega. Agora é partir para outro jogo no domingo”.

Por Igor Matheus

Comentários