Técnicos comentam resultados da segunda rodada olímpica

0
Frank Farina, técnico de Fiji (Fotos: Igor Matheus/ Portal Infonet)

Uma rodada com nada menos que 12 gols – mesmo número da anterior – rende assunto em qualquer lugar. Que dizer então do parecer dos técnicos dos times envolvidos. E os treinadores de México, Fiji, Alemanha e Coreia saíram com impressões bem diversas de seus resultados. Em entrevista coletiva realizada após as partidas deste domingo, 7, na Fonte Nova, eles falaram o que viram dos confrontos.

México 5 x 1 Fiji

Para o técnico de Fiji, Frank Farina, a derrota faz parte do processo de aprendizado do time. “No primeiro tempo jogamos muito bem. Criamos chances e fizemos um gol histórico não apenas para Fiji mas para o próprio autor dele, o Roy Krishna. E foi fantástico, não imaginávamos isso acontecendo. Já no segundo tempo mostramos a inexperiência que temos neste nível de futebol. É difícil para nós termos oportunidade de jogar contra times de nível mundial. Mesmo assim, achei a performance melhor do que no jogo contra a Coreia. No fim de tudo, mostramos que podemos jogar futebol”.

Já Raul Gutierrez, do México, deixou claro o que não estava certo em seu time na primeira etapa – quando sofreu o gol. “Parece que não jogamos conectados. Não se viam aqueles três ou quatro toques que são característicos da nossa equipe. E a soma de todos esses espaços facilitou o trabalho do rival”. O treinador também deu rápida opinião sobre o frágil Fiji. “É uma boa equipe. Só lhe falta experiência”.

Horst Hrubesch, técnico da Alemanha

Alemanha 3 x 3 Coréia do Sul

Horst Hrubesch, treinador da Alemanha, destacou que não se surpreendeu com o placar. “São dois times que jogam futebol ofensivo. 3 a 3 é um resultado possível sim, e não vejo problemas nisso”. O técnico também não quis apontar os erros de sua seleção – apesar de ter citado que foram vários. “Temos jogadores jovens em campo, e é normal que eles cometam erros”.

Já Yong Shin, técnico da Coreia, destacou que, no fim das contas, gostou do que viu. “Jogamos bem, assim como a Alemanha. O último minuto é que foi decepcionante. Mas respeito o futebol que nossos jogadores jogaram. Foram felizes na performance”. Shin também frisou que concorda com a análise do técnico alemão sobre a ofensividade de ambos os times.

“Realmente são dois times que jogam para o ataque. Obviamente ele estava impressionado com o poder ofensivo do nosso time. Talvez precisemos de melhoras é no lado defensivo.E foi uma partida muito interessante para quem estava na audiência, mas para quem estava no banco foi um tanto quanto nervosa”.

Por Igor Matheus
De Salvador-BA

Comentários