Tênis de Mesa sergipano no cenário nacional

0
Federação Sergipana de Tênis de Mesa oferece treinamento de alto rendimento (Fotos: Portal Infonet)

O tênis de mesa em Sergipe tem alcançado cada vez mais adeptos, abrindo espaço para os atletas regionais no cenário nacional. Com o apoio da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM), a Federação Sergipana (FTM-SE) tem promovido competições que marcam o calendário esportivo no estado, a exemplo do II Aberto de Tênis de Mesa de Aracaju, ocorrido no último final de semana, 8 e 9. Segundo Guido Borges, presidente da FTM, os eventos visam o desenvolvimento do nível técnico dos atletas, assim como a divulgação da modalidade.

De acordo com o presidente da FTM, o desenvolvimento do esporte em Sergipe é recente. “A modalidade passou por um período apagado tanto com relação a prática quanto a organização de eventos. Os atletas não tinham o sonho de chegar à seleção, pois o esporte estava desacreditado. Com o surgimento da Academia Sergipana de Tênis de Mesa (ASTM), em 2008, foi implementado um centro de treinamento de alto rendimento”, diz Guido. Para o atleta, o avanço do esporte foi fruto da junção entre investimento nas competições e boas relações com a Confederação Brasileira.

"A situação de Sergipe no tênis de mesa está entre as melhores do país", afirma Guido Borges

O tênis de mesa em Sergipe, segundo Guido, tem agregado simpatizantes e competidores de todas as idades. “Hoje nós temos desde crianças de cinco anos que começam nos colégios até adultos que treinavam antigamente e voltam a praticar”, diz. Para o presidente, as escolas e a sede da ASTM são os principais locais de treinamento no estado. “Os colégios tem cada vez mais interesse na modalidade, não só indicando atletas como solicitando professores para implantar o tênis de mesa nas instituições”, conta Guido.

O presidente da FTM afirma ainda que a cena sergipana do esporte está entre as melhores do país. “Hoje nós recebemos anualmente a Copa Brasil no estado, e nossos eventos reúnem no mínimo 120 competidores por edição. Para tanto, recebemos patrocínio da Secretaria Estadual e Municipal do Esporte, e os próprios atletas correm atrás”, diz Guido.

O calendário de competições no estado reúne oito etapas individuais, dois campeonatos por equipes, e o chamado Top 16, conhecido como Copa-Rei. “Temos ainda cinco copas de divulgação, cujo objetivo é propagar o esporte nas cidades do interior”, completa.

Thiago Rouver, 2º colocado brasileiro na categoria mirim

Entre os destaques do tênis de mesa sergipano no Brasil está o jovem Thiago Rouver, de 12 anos, segundo colocado no ranking brasileiro mirim. “Comecei nas copas escolares, fui gostando e hoje tenho o objetivo de ser profissional e participar da seleção brasileira no futuro”, diz Thiago. Para o atleta, estudante do 7º ano, o esporte proporciona outros benefícios além da diversão. “Mesmo para quem não quer competir, é importante por que é bom para saúde, além de ser divertido”, opina.

Projeto

A Federação Sergipana de Tênis de Mesa tem promovido um projeto de inclusão social para iniciação de jovens e crianças no esporte. “As sextas-feiras, das 6h às 7h30, abrimos seis mesas para os alunos do Colégio Atheneu conhecerem a modalidade. Nossa intenção é ampliar esse projeto junto a outras escolas”, diz Guido Borges.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais