Adepol: “SSP investe na evolução da criminalidade”

0
Kassio Viana durante a apresentação do relatório (Fotos: Portal Infonet)

“SSP de Sergipe, sete anos investindo na evolução da criminalidade”. Esse foi apenas um dos tópicos divulgados na manhã desta segunda-feira, 25, por representantes da Associação dos Delegados de Polícia de Sergipe (Adepol), durante exibição do segundo relatório contendo fotos e vídeos sobre a situação das delegacias em todo o Estado. O presidente da entidade, Kássio Viana, disse que apesar de estarem sendo construídos os Centros Integrados e Segurança Pública (Cisps) no interior, vem sendo constatadas falhas estruturais por meio de infiltrações. Na coletiva de imprensa, foi criticada ainda a não implantação dos novos prédios nos municípios mais violentos, como Propriá e Lagarto.

“Nós apresentamos há dois anos, fotos e vídeos sobre as condições das delegacias em Sergipe. É inegável que depois, o Estado melhorou muitas delegacias, mas a quantidade de delegacias que tem sem condições de trabalho, é injustificável. A crítica que a gente faz é na escolha para a construção de unidades no interior. Já que não tinha dinheiro para construir esses prédios em todos os lugares, que construísse primeiramente nos municípios onde tem mais crimes. Cidades como Tobias, Barreto, Propriá, Lagarto, Nossa Senhora da Glória não receberam esses prédios. Criticamos também a qualidade das obras. Não é possível que um prédio construído há dois anos, como acontece em Laranjeiras já se encontre em péssimas condições, cheio de infiltrações e infiltração é falha estrutural”, Kássio Viana.

Presidente da Adepol destaca falta de planejamento

O presidente da Adepol lembrou que em fevereiro de 2014, a Secretaria de Estado da Segurança Pública, lançou uma revista publicitária, mostrando investimentos nas delegacias.

“A Revista intitulada 7 anos de Evolução, produzida pela SSP é enganosa e não foi amplamente distribuída, para evitar que a população comprovasse as irregularidades. O Governo informa que investiu dez milhões, mas está claro que a incompetência, negligência e responsabilidade dos gestores não permitiu qualquer avanço. Dois anos depois do último relatório apresentado pela Adepol, a situação se agrava diariamente”, diz acrescentando não ter havido planejamento. Os delegados querem chamar a atenção dos gestores quanto a situação das delegacias.

“Eu não estou feliz em divulgar esse relatório e a gente torce para que o próximo Governo repense a forma de priorizar os investimentos de segurança pública e possa tomar decisões que sejam eficientes. Os delegados precisam mostrar que as condições de trabalho não são adequadas: falta agentes de polícia, distribuição do efetivo, planejamento, conversa, metas e isso tudo tem resultado no caos em que se encontra a Segurança Pública no Estado”, ressalta.

Apresentação das delegacias em situação precária

“Nos últimos três anos, os municípios de Estância, Propriá e Lagarto,  somaram juntos, 234 homicídios, no entanto, foram construídos três novos Cisps em Canhoba, Telha e Amparo do São Francisco. Todos os municípios merecem estrutura, mas não estão priorizando os mais violentos. Isso é planejamento? Onde estão os 7 anos de evolução? Na criminalidade, na ingerência, no descaso e abandono? Essa é a vergonhosa realidade.

SSP

Em nota, a assessoria de Comunicação da Secretaria de Segurança Pública de Sergipe, informou que: “A Secretaria de Estado da Segurança Pública de Sergipe não concorda com os reclames destacados pela Associação dos Delegados de Polícia de Sergipe (Adepol) e ratifica que a infraestrutura das unidades de segurança pública, que engloba não só prédios da Polícia Civil, mas também da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Coordenadoria Geral de Perícias (Cogerp), passou por uma revolução nos últimos sete anos com  investimentos na ordem de R$ 30 milhões.

A política de recuperação foi implementada em todas as regiões do Estado, já que a SSP atua e tem que atender toda a população sergipana. Alguns municípios com índices mais críticos de criminalidade foram beneficiados como é o caso da cidade de Itabaiana, que recebeu uma nova delegacia modelo com investimento de mais de hum milhão. A cidade de Lagarto recebeu também uma nova delegacia com a ampliação e reforma do prédio. A cidade de Tobias Barreto também ganhou uma nova unidade com uma ampla reforma no prédio policial a exemplo também da cidade de Nossa Senhora da Glória.

Além disso, foram construídos 22 Centros Integrados de Segurança Pública (Cisps), que representam um novo modelo de unidade policial que funciona em municípios de médio e pequeno porte, abrigando em um mesmo prédio efetivos das polícias Civil e Militar. A iniciativa proporciona inclusive economia, pois se mantém uma única unidade, além de contribui com a integração das forças policiais.

A SSP também não concorda quando a Adepol afirma que falta condições de trabalho. Todas as unidades possuem hoje equipamentos de informática e a grande maioria tem seus gabinetes e dormitórios climatizados. Além disso toda a frota de viaturas é nova, proporcionando conforto aos servidores e os policiais civis tem acautelados individualmente uma pistola .40, colete balístico, algemas e munições.

Com relação a falta de agentes, será deflagrado ainda este ano concurso público para agentes de polícia civil e escrivães. O planejamento é uma das características desta gestão, basta observar a quantidade de unidades que foram criadas, a exemplo do Departamento de Narcóticos (Denarc), Divisão de Combate a Roubos e Furtos de Veículos (DRFV), Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap), Delegacia de Combate aos Crimines Cibernéticos, Grupamento Especial de Repressão e Busca (GERB), entre outras unidades da Polícia Civil. Por parte da Polícia Militar destacamos o GTA, Getam, GATI e Pepac. Além disso podemos chamar a atenção para a virtualização dos procedimentos de cartórios das delegacias de polícia e das unidades que compõem as outras instituições da SSP, iniciativa que representará ganho de tempo e economia, acabando com papéis.

Com relação a resultados basta destacar que nunca se prendeu tanto em Sergipe como nos últimos sete anos com uma conta que já ultrapassa 25 mil prisões. A quantidade de drogas apreendidas também é um bom dado com mais de 3 toneladas apreendidas. Armas de fogo já passam de 7 mil apreendidas no período. O trabalho de desarticulação de quadrilhas especializadas em crimes organizados é exemplo para o Brasil, citamos as gangues que agiam nas explosões de cashs que foram desarticuladas em Sergipe, inclusive com prisões da polícia sergipana em outros Estados, além do índice de elucidação de crimes de homicídios que em 2013 chegou a marca de mais de 50%, quando a média nacional varia de 2 a 8%. Portanto os resultados são bastante satisfatórios.

A revista da SSP não é publicitária como afirma a Adepol e sua distribuição foi limitada por cota de gastos. Ela corresponde a um projeto elaborado pela Assessoria de Comunicação da SSP e funcionou como um relatório de gestão. A sua distribuição aconteceu nas prefeituras dos municípios sergipanos, órgãos como o Tribunal de Justiça, secretarias de Estado, Assembleia Legislativa, Câmara de Vereadores, entre outros. A iniciativa não custou nenhum real aos cofres públicos do Estado, pois foi fruto de uma parceria com a iniciativa privada. A SSP gostaria muito que cada cidadão sergipano pudesse ter um exemplar, pois retrata o investimento histórico feito na segurança pública do Estado.

A SSP ressalta que O processo de recuperação da segurança pública é contínuo e está em andamento. A SSP informa que existe muito para evoluir, mas a realidade encontrada hoje é muito melhor da existente no final de 2006 tanto na questão de infraestrutura, como em relação a equipamentos, viaturas, armamentos, EPIs, criação de unidades, resultados contra a criminalidade, salários, recuperação do Corpo de Bombeiros entre outras evoluções".

Confira o vídeo divulgado pela Adepol

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais