Agentes prisionais prometem cruzar os braços em março

0

Assembleia aconteceu na Praça Fausto Cardoso (Fotos: Portal Infonet)

Agentes Prisionais realizaram uma assembleia extraordinária na Praça Fausto Cardoso, na manhã desta quarta-feira, 26, e decidiram por uma mobilização e pelo estado de greve. A categoria promete paralisar as atividades por tempo indeterminado a partir da 1ª quinzena de março.

“Em 2009, o Governo do Estado mandou o projeto de lei 166 para a Assembleia Legislativa de Sergipe tratando do aumento salarial dos agentes prisionais e uma lei estadual que fala da diferença salarial de um servidor para outro. Para se ter uma ideia, tem agente ganhando menos de 40% do que outro. O Governo já fez uma avaliação e já sabe dessa isonomia, só está faltando nos receber”, destaca o presidente do Sindicato dos Agentes Prisionais de Sergipe, Edilson Souza.

O sindicalista afirmou que a categoria pede ainda a extensão de benefício, condições de trabalho e o fim da terceirização nos presídios.

Agentes lotaram as galerias da Assembleia Legislativa

“Em troca, a categoria faria um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), como aconteceu com o Samu. Ou seja, venderíamos um dia de folga para o Estado para dar mais segurança à sociedade dentro dos presídios, aumentando mais de 400 homens nos presídios. Decidimos em assembleia extraodinária, a mobilização da categoria e que até a 1ª semana de março, fazer uma greve por tempo indeterminado”, enfatiza.

Alese

Após a assembleia na praça, os agentes prisionais acompanharam a sessão na Assembleia Legislativa de Sergipe. “Viemos aqui pedir um apoio aos deputados estaduais porque o nosso direito está aviltado desde 2009. Em 12 de julho fizemos o pedido de correção salarial, em agosto de 2010, o projeto veio para a Assembleia e até agora nada. Não temos condições de trabalho e ainda estão tentando privatizar a unidade de Estância, pelo dobro dos valores”, lamenta o vice-presidente do Sindicato dos Agentes Prisionais, Marcelo Soares lembrando que no próximo dia 28 de março a situação da categoria será discutida em audiência pública na Alese.                                  

Desipe

Edilson Souza, presidente do Sindicato dos Agentes Prisionais de Sergipe

Marcelo Soares, vice-presidente

Augusto Bezerra defendeu a categoria na tribuna

O diretor do Departamento Penitenciário (Desipe), Manoel Lúcio Neto informou entender que o déficit de agentes prisionais é grande.

“Quanto às condições de trabalho, os agentes estão tendo sim, agora o déficit de servidores é realmente muito grande e não temos previsão nenhuma para a realização de um concurso público. Sobre a privatização dos presídios, não existe nada definido sobre isso”, ressalta.

Recentemente o governador Jackson Barreto (PMDB) informou em entrevista à imprensa, que após o Carnaval estará dando início às conversações com representantes de sindicatos de servidores públicos estaduais, iniciando pelo Sintrase e pelo Sintese.

Os deputados foram solidários à causa. "Vou marcar uma audiência com o governador e levar alguns representantes da categoria para discutir o problema", diz Augusto Bezerra.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais