Alese: número de mulheres aumentará para seis na próxima legislatura

0
Alese: número de mulheres aumentará para seis na próxima legislatura (Foto: Alese)

Na próxima legislatura, as mulheres terão mais espaço na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese). No último domingo, 7, foram eleitos os deputados estaduais que terão mandato no quadriênio 2019-2022.

O número de mulheres aumentou para seis. Foram reeleitas Goretti Reis (PSD) e Maria Mendonça (PSDB). Preencherão novas vagas Kitty Lima (Rede), Janier Mota (PR), Maísa Mitidieri (PSD) e Diná Almeida (Podemos).

Hoje, as mulheres ocupam quatro vagas: além de Maria e Goretti, tem Sílvia Fontes (PDT), que concorre a vice-governadora e Ana Lúcia (PT), que irá se aposentar das atividades parlamentares.

Presidente da Procuradoria da Mulher, Goretti Reis acredita que as novas companheiras  serão importantes na elaboração de políticas públicas para mulheres. “Foi um avanço para a luta e conquista do emponderamento feminino e participação na política. Com essas seis, teremos mais forças para, unidas, fazer com que políticas contra violência doméstica, como a patrulha Maria da Penha sejam implantadas, que a gente consiga incluir nisso as delegacias do interior, que fiquem abertas no fim de semana. Precisamos lutar para que essas injustiças possam ser sanadas”.

Kitty Lima, que hoje é vereadora da Câmara de Aracaju e passará para a Alese no próximo ano, falou em conquistar mais espaços. “Falamos tanto que a mulher precisa ocupar seus espaços. É um numero maior, mas são apenas seis em um universo de 24. No entanto, estamos avançando, provando que mulher pode ocupar os espaços, que tem força para combater o sistema corrupto. Precisamos de mulheres fortes. Esse não é um universo somente masculino”.

Só Emília na Câmara

Se na Alese o número de mulheres subiu para seis, na Câmara de Vereadores de Aracaju restará apenas uma. Com a saída de Kitty, Emília Corrêa (Patriota) será responsável por trazer para o plenário o debate e as causas femininas. “Lamento muito, é menos uma mulher representando aqui. Porém, fico muito feliz porque ela vai nos defender na Assembleia Legislativa. As mulheres têm que analisar esse cenário, são maioria do eleitorado brasileiro, 52%. Nós fazemos a diferença, temos sensibilidade, coragem e inteligência. Quero dizer à mulherada que vou ficar sozinha, mas vou trabalhar em dobro para defender os interesses do aracajuano e do sergipano também”.

Por Victor Siqueira

Comentários