Almeida destaca investimentos em programas de irrigação

0

Ele concedeu coletiva à imprensa esta manhã
Nesta quarta-feira, 23, o senador Almeida Lima reuniu a imprensa aracajuana para apresentar os projetos que farão parte do orçamento de 2010. Ele destacou o programa de investimento no setor de irrigação que visa desenvolver as regiões do Sertão e Agreste. 

“O projeto irá custar R$ 130 milhões e será dividido em duas partes. Para iniciar o projeto precisamos de pelo menos R$ 30 milhões”, afirma. O programa, de autoria do Governo Estadual, é uma das medidas tomadas para desenvolver a agricultura sergipana. “Esse projeto é de grande importância para o desenvolvimento do nosso Estado”, diz o senador.

Além disso, um investimento de R$ 45 milhões será destinado ao Departamento Nacional de Obras Contra Seca (DENOCS), órgão federal que possui uma sede em cada Estado. “Para atuar melhor no desenvolvimento de Sergipe, a sede sergipana precisa passar por uma reformulação administrativa e material. O dinheiro será utilizado para fazer essa reforma e aplicar projetos que estimulem a agricultura”, conta. Segundo Almeida, uma nova pessoa foi nomeada para comandar o órgão. “Quem ficará à frente do Denocs é José Volney Soares de Brito”, completa.

Outros projetos

Outros investimentos serão feitos a partir do Orçamento, como a aplicação de R$ 8 milhões na construção de praças e habitações em Japaratuba; a criação de 23 praças e 17 ginásios esportivos em diversas cidades do interior do estado; a finalização do mercado de Itabaianinha e a construção de mais sete mercados nas cidades de Campo do Brito, Pedrinhas, Frei Paulo, São Domingos, Maruim, Feira Nova e Santana do São Francisco.

O Hospital Cirurgia também será beneficiado. Uma aplicação de R$ 5,5 a 6 milhões – destinada à compra de um aparelho de ressonância magnética e um acelerador linear – será feita para garantir atendimento médico aos pacientes com câncer. O Centro de Radioterapia do hospital está fechado desde abril, quando uma fiscalização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) constatou irregularidades.

Comentários