Assembleia pela implantação da UNIVASF em Sergipe

0

(Foto: Assessoria Parlamentar)

Centenas de estudantes, professores, gremistas, sindicalistas e lideranças jovens do município de Itabaianinha se reuniram na tarde desta quarta-feira, 23, para cobrar a implantação de um pólo da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) na região do Sertão do Rio Real. O encontro, realizado no Colégio Estadual Raimundo Lima Vieira, é a primeira de cinco assembleias a serem realizadas nos municípios da localidade.

A professora Ana Lúcia (PT), deputada que tem defendido publicamente e lutado pela implantação da UNIVASF na microrregião do Sertão do Rio Real esteve presente no encontro. Em setembro deste ano, ela apresentou um requerimento apelando à presidenta Dilma Rousseff e ao Ministro da Educação Aloisio Mercadante a criação do campus. “Mas como professora, essa luta pela interiorização da universidade pública vem desde 2004, quando o então presidente Lula lançou a proposta de expandir as vagas do ensino superior ampliando as universidades”, destacou a deputada.

Ana Lúcia explicou que a ideia de levar a UNIVASF para a região do Sertão de Rio Real partiu do senador do PT da Bahia, Walter Pinheiro e, neste sentido, seu pedido vem reiterar as solicitações já feitas pelo senador petista. Ela explicou que tem entrado em contato constantemente com ele para que ele auxilie no trabalho de mobilização da sociedade na Bahia, assim como ela tem feito em Sergipe em parceria com diversos atores. “É decisiva a mobilização da população para mostrar que quer, que pode e que tem condições de instalar uma universidade na região”, chamou a atenção a deputada.

Para garantir a implantação da UNIVASF na região, a população local está realizando um abaixo assinado, que será entregue à presidenta Dilma Rousseff e ao Ministro da Educação Aloisio Mercadante. “A nossa luta agora é para termos um extenso abaixo assinado”, pediu Ana Lúcia aos estudantes e lideranças presentes na assembleia. O documento está circulando nos municípios sergipanos da região e pode também ser acessado e assinado virtualmente no site.

De acordo com o professor Josenilton Nascimento, embora a coleta de assinaturas tenha iniciado há apenas uma semana, cerca de duas mil pessoas já assinaram a petição. Ele conta que o movimento vem crescendo e já possui articuladores em Poço Verde, Cristinápolis, Tomar do Geru, Itabaianinha e Tobias Barreto. São professores, sindicalistas, estudantes, lideranças do MST, vereadores e deputados empenhados na causa. “Também já estamos articulando com os companheiros de Itapicuru na Bahia, cidade que faz fronteira com Tobias Barreto”, garante esperançoso.
Desenvolvimento

Se implantado, o pólo da UNIVASF beneficiará mais de 170 mil pessoas que vivem na região que engloba, entre outros municípios sergipanos, as cidades de Tobias Barreto, Poço Verde, Cristinápolis, Tomar do Geru e Itabaianinha. Caso a cidade escolhida para receber o campus da universidade seja Tobias Barreto, poderão ter acesso ao ensino superior também jovens de diversos municípios do sertão baiano, a exemplo de Ribeira do Amparo, Itapicuru, Olindina e Rio Real. Desta forma, o número de pessoas beneficiadas seria ampliado para mais de 200 mil.

Atualmente, os estudantes de ensino superior de Itabaianinha, por exemplo, precisam percorrer 118km diariamente para ter acesso às aulas, o equivalente a cerca de duas horas de viagem. É o que conta o estudante Conrado Júnior. “Ter uma universidade presencial em nossa cidade ou em nossa região significa reduzir as dificuldades enfrentadas pelos estudantes e seus familiares para garantir o ensino superior”, aponta o adolescente que está concluindo o ensino médio este ano.

A deputada Ana Lúcia destaca que, mais do que facilitar o deslocamento dos estudantes, a implantação de uma universidade na região significa potencializar seu desenvolvimento do ponto de vista da geração de emprego e renda, da pesquisa, do crescimento econômico e cultural. “As universidades obrigatoriamente desenvolvem além do ensino, a pesquisa e extensão, possibilitando investimentos mais intensos. Por isso dizemos que quando uma universidade chega numa região, ela traz consigo desenvolvimento não apenas para a cidade sede, mas também para as circunvizinhas”, esclareceu a deputada.

Para Josenilton Nascimento Santos, professor das redes municipais de Itabaianinha e Tobias Barreto, e um dos articuladores do movimento, a chegada de um campus será “um divisor de águas” para a região. “Ter um campus universitário aqui seria importantíssimo para alavancar o desenvolvimento dessa região, porque essa universidade iria fazer pesquisa nas áreas em que a economia local mais se destaca”, avalia o educador.

Além dos ganhos econômico um ganho social, econômico e cultural, o professor João Ferreira acredita que a implantação de uma universidade na região impulsionará o desenvolvimento intelectual para jovens e professores. “A UNIVASF possibilitará não somente aos alunos o acesso a uma universidade pública presencial, mas também para o professor, que terá uma perspectiva de qualificação mais sólida, estando mais próximos de cursos de mestrado e doutorado com a finalidade de também ser um professor de uma universidade federal”.

Fonte: Assessoria Parlamentar

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais