Bancada da oposição volta a cobrar sessão especial

0

Sessão especial poderá ocorrer no próximo dia 17
A bancada de oposição, representada pelos deputados estaduais Venâncio Fonseca (PP) e Augusto Bezerra (DEM), registraram um requerimento na tarde desta segunda-feira, 8, na Assembleia Legislativa, solicitando uma sessão especial no dia 17 deste mês, para discutir a saúde pública do Estado.

Eles pedem a participação de autoridades da área, como a secretária de Saúde de Sergipe, Mônica Sampaio, o presidente da Sociedade Médica do Estado, Petrônio Gomes, o presidente do Conselho Regional de Medicina de Sergipe, Henrique Batista e Silva, a promotora de Justiça Euza Missano, o diretor da Vigilância Sanitária do Estado, Antônio Pádua, o presidente do Sindicato dos Médicos José Meneses e Flávia Brasileiro, presidente do Sindicato dos Enfermeiros de Sergipe.

Em seu pronunciamento nesta tarde, Augusto Bezerra destacou que a saúde está obtendo índices altos de insatisfação da população que necessita utilizar os serviços oferecidos pela saúde pública. Para o deputado estadual, Aracaju está sem secretário de Saúde, apesar da nomeação do vice-prefeito Silvio Santos (PT) para ocupar a pasta.

“A sociedade não pode mais ficar na dúvida, se a Prefeitura Municipal de Aracaju está ou não mandando dinheiro para o Hospital de Cirurgia”, destacou Bezerra, dizendo que é abordado diariamente em locais públicos por funcionários da saúde, que relatam a situação como são tratados e a falta de materiais adequados para que possam oferecer um atendimento de qualidade para a população sergipana. “Uma das piores torturas que existem, é a psicológica e isto o Estado tem feito de maneira perversa com estes profissionais”, acredita.

O deputado estadual destacou que a saúde no Estado está virando caso de polícia, com as ocorrências de erros médicos e mortes por falta de atendimento adequado e equipamentos necessários para dar socorro aos pacientes que procuram as unidades de saúde pública. “O próprio Samarone disse que não tem saúde para agüentar a saúde do município. Chegarmos a um ponto como este, mas não termos uma discussão sobre este assunto? Se na ouvirmos as pessoas da área nós não estamos cumprindo com nosso papel nessa Casa.

É preciso que a sociedade entenda que passaram dos limites. O que esta Casa fez quando aprovou as fundações? Nós, da oposição, votamos contra”, ressaltou Augusto Bezerra, que afirmou que não acredita neste modelo de saúde. Augusto Bezerra acrescentou que é necessária a realização de discussão com intenção de melhorar e apresentar ideias para a área, porque para o deputado estadual, do jeito que a saúde está, não está funcionado.

Fonte: Agência Alese

Comentários