Boatos sobre votos brancos, nulos e anulação de eleições são falsos

0
Boatos sobre votos brancos, nulos e anulação de eleições são falsos (Imagem: Reprodução/Simulador de Votação do TRE)

Você certamente já pode ter escutado alguém dizer, visto uma publicação em rede social ou até dito que se 51% dos votos forem brancos ou nulos a eleição pode ser cancelada. Essa boato sempre tem espaço na internet e nas discussões sobre política. A informação é, no entanto, falsa.

Isso porque, no processo eleitoral, só são levados em consideração os votos válidos, ou seja, os que são destinados a candidatos. Os brancos e nulos não exercem influência alguma sobre o resultado das eleições.

Marcelo Gerard explica que quantidade de brancos e nulos não influenciam na eleição (Foto: Portal Infonet)

O coordenador de planejamento e gestão estratégica do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Marcelo Gerard, esclareceu que qualquer informação neste sentido trata-se de fake news. “É bom ter isso em mente, e a Justiça Eleitoral está sempre chamando a atenção. Circula que se mais da metade dos votos forem brancos e nulos trazem uma nova eleição, inclusive com novos candidatos, mas não é verdade. Eles não têm efeito algum. O eleitor, neste caso, apenas deixa seu poder de escolha na mão de outros, ou seja, não atua como uma pessoa que tem o direito de votar”.

Outro boato bastante difundido é que os votos brancos acabam sendo direcionados às legendas mais votadas, informação que também não procede.

Branco e nulo

O voto em branco na urna eletrônica simula a situação da votação em papel, em que o eleitor entregava a cédula totalmente em branco. Já o nulo representa a antiga hipótese de o cidadão entregar a cédula com informações ilegíveis ou marcando todos os candidatos. Na urna eletrônica, o eleitor vota nulo digitando e confirmando números que não existem.

Por Victor Siqueira

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais