Câmara de Lagarto aprova prioridade de vacinação para policiais

0
O projeto de Lei é o primeiro a atender a sugestão do movimento Polícia Unida (Foto: Freepik)

A Câmara Municipal de Lagarto aprovou prioridade de vacinação para os operadores de segurança pública, em Sergipe, nesta terça-feira, 13. O projeto de Lei é o primeiro a atender a sugestão do movimento Polícia Unida, que vem buscando junto aos poderes Legislativo e Executivo dos municípios do Estado a vacinação das categorias de segurança pública. Mais dois municípios devem apreciar essa propositura esta semana.

A iniciativa de autoria do vereador Matheus Fraga foi aprovada por unanimidade, na sessão de terça-feira, 13. Após a sanção pela prefeita Hilda Ribeiro e publicação, a lei entra imediatamente em vigor. A expectativa é que todos os policiais militares, civis, bombeiros militares, guardas municipais e agentes de trânsito que trabalham no município sejam vacinados, ainda nesta primeira fase.

O vereador Matheus Fraga ressalta que os operadores de segurança pública são essenciais neste momento de pandemia e que a prioridade na vacinação é uma questão de justiça. “Os policiais fazem parte da lista de serviços essenciais e estiveram trabalhando durante toda a pandemia. Não existe prisão remota, nem abordagem em home office. Os policiais precisam fazer abordagem direta aos que infringem a lei, assim como estar próximo e atuando para a população de bem”, explica o parlamentar.

O projeto obriga o contingenciamento de, no mínimo, 5% das doses de vacinas recebidas do Estado, ou mesmo, se for o caso, daquelas adquiridas direta ou indiretamente, inclusive recebidas por meio de doação.

O presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Sergipe (Adepol/SE), Isaque Cangussu, parabeniza todos os vereadores de Lagarto pela aprovação por aclamação do projeto de lei do vereador e colega policial civil Matheus Fraga. “A ideia, que partiu do Movimento Polícia Unida e já foi abraçada pelos representantes do povo lagartense, nada mais é que a realização da justiça aos profissionais que estão se expondo ao risco nesta pandemia em favor da sociedade. A expectativa agora é pela sanção e publicação da lei, que depende da prefeita Hilda Ribeiro. Temos certeza que ela cumprirá isso o quanto antes, pois é uma gestora comprometida com o bem-estar social. Esperamos que as outras Casas do povo e os prefeitos também abracem a ideia e aprovem proposta semelhante”, diz.

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE), Adriano Bandeira, ressalta a importância da aprovação do projeto de Lei que prioriza a vacinação dos profissionais de segurança pública no município de Lagarto e espera que essa atitude incentive outros municípios a tomar a mesma conduta. “São poucos os municípios que se sensibilizaram e priorizaram a vacinação dos profissionais de segurança pública nesta primeira fase. Alguns alteraram o protocolo de vacinação mesmo sem um projeto de Lei, mas alguns prefeitos preferem dessa forma, passando pelo Legislativo. Lagarto protagonizou essa iniciativa e agradecemos muito ao vereador e policial Matheus Fraga, que abraçou a causa, apresentou esse projeto e conseguiu a vitória. Nós enaltecemos a importância deste legislador na câmara municipal de Lagarto. E espero que essa atitude seja contemplada também nos demais municípios sergipanos. Com esse objetivo, estamos trabalhando incansavelmente com o Movimento Polícia Unida. É um momento de muita alegria, reconhecimento, mas também de luta”, diz.

O presidente da Associação dos Oficiais Militares de Sergipe (Assomise), coronel Adriano Reis, espera que os demais municípios do interior também sejam sensíveis à causa, percebendo a importância desses profissionais na manutenção da ordem e permanecendo na ativa durante toda a pandemia. “A presença de um grande parceiro e colega de força policial, como o vereador Matheus Fraga, foi peça fundamental. Além de ele ser o autor da lei, foi importante no convencimento dos demais pares. Essa aprovação é de extrema importância, porque somos atividade essencial, estamos linha de frente e não paramos um minuto sequer. Sem o amparo da força policial, num momento como o de crise como este, a situação não seria a mesma. Esses profissionais já deveriam estar sendo vacinados, mas somente agora o Estado se sensibilizou e mudou o protocolo de saúde. Nosso apelo é que cada chefe dos Poderes Legislativo e Executivo dos municípios de todo Sergipe priorizem a vacinação dos operadores de segurança pública”, recorre.

Fonte: Adepol/SE

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais