Câmara realiza audiência sobre bancos

0

Audiência aconteceu no plenário da Câmara de Vereadores (Fotos: Alberto Dutra)
Foi realizada no plenário da Câmara Municipal de Aracaju na manhã desta terça-feira, 22, uma audiência pública com o objetivo de discutir junto às instituições bancárias, o Sindicato dos Bancários e demais interessados, o Projeto de Lei de autoria da vereadora Simone Gois (PT), prevendo a ampliação do horário de funcionamento das agências bancárias na capital sergipana. A audiência foi proposta pela Comissão de Cidadania e Justiça (CCJ).

De acordo com Simone Gois, é importante a participação dos envolvidos em sua propositura, visando colaborar com a criação da Lei Municipal que estabelece um novo horário de funcionamento das instituições bancárias.

Projeto é de autoria da vereadora Simone Góis
“Em nosso projeto, propomos que os bancos funcionem das 9h às 17h para que especialmente as empresas possam realizar seus depósitos e demais movimentações financeiras com maior calma”, ressalta a vereadora acrescentando que já enviou ofício ao Banco Central, tendo obtido resposta favorável ao projeto de sua autoria.

“Pedimos a autorização do Banco Central para as mudanças, e este nos respondeu por ofício de maneira positiva. Num primeiro momento, o presidente da CCJ, o vereador Elber Batalha (PSB), achava que o projeto era ilegal, mas, a partir do momento em que viu o ofício do Banco Central, acreditou não haver nenhuma inconstitucionalidade na iniciativa”, esclarece Simone Gois.

Bancários

O presidente do Sindicato dos Bancários de Sergipe, José Souza disse que ampliação do horário de funcionamento dos bancos é uma reivindicação antiga da categoria. “A proposta é uma reivindicação histórica da categoria. É algo que propomos anualmente à Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Essa iniciativa corrobora com a nossa reivindicação de atendimento a população tendo a preocupação de conforto aos usuários dos bancos da capital. Temos simpatia pelo projeto e esperamos que os representantes dos bancos recepcionem essa proposta, pois ela é muito importante para a população da nossa capital”, enfatiza o sindicalista.

“Ampliar o atendimento ao público trará grandes vantagens. Em especial no caso do comércio, cujos empresários terão maior tempo para atender aos seus clientes e a partir das 16h15 começarem a levar os seus depósitos e ficarem com menos recursos, evitando possibilidades de assalto em suas lojas ou escritórios”, frisou Souza.

Bancos

A superintendente do Banco do Brasil, Marília Prado de Lima, falou sobre as conseqüências da aprovação da medida. “Não vamos nos desvincular dos horários de processamento do banco. Além disso, há desdobramentos como segurança, vigilância das dependências e é também preciso avaliar o impacto em relação ao custo benefício. Hoje dispomos de máquinas que acolhem depósitos após o atendimento pessoal e conscientizar a população do uso dos caixas eletrônicos tem sido um grande desafio”, entende Marília Prado.

Por Aldaci de Souza, com informações da CMAju

Comentários