Cegos e surdos mostram dificuldades em supermercados

0
Jacivaldo é cego total precisa de um funcionário para auxiliá-lo nos supermercados (Fotos: Portal Infonet)

Em prosseguimento ao Projeto Aracaju Acessível: Práticas Cidadãs de Acessibilidade, desenvolvido pelo vereador Lucas Aribé (PT) em Aracaju, foi realizada na manhã desta quarta-feira, 17, uma ação no supermercado G. Barbosa do Shopping Riomar. Cegos da Associação dos Deficientes Visuais de Sergipe (Adesive), e surdo que estuda no Instituto Pedagógico de Apoio ao Surdo de Sergipe (IPAESE), foram acompanhados por representantes da Associação dos Supermercados de Sergipe (ASES) e por Lucas Aribé, no sentido de mostrar as dificuldades enfrentadas nos estabelecimentos.

“A maior dificuldade enfrentada pelos cegos totais em alguns supermercados de Aracaju é em virtude da falta de profissionais para nos guiar até o final das compras, mas fui informado aqui nessa ação pelos representantes da ASES, que isso está sendo solucionado”, ressalta o vice-presidente da Adesive, Jacivaldo Silva de Jesus, destacando a importância do Aracaju Acessível e acrescentando entender ser meramente impossível colocar os preços em braile.

Legislação indica a destinação de funcionários para ajudar as pessoas com deficiência

Por meio do professor do Ipaese, Daniel Dertônio Rocha, o estudante Everton Oliveira, 18, conversou com o Portal Infonet. De acordo com ele, a maior dificuldade em descobrir o que os funcionários dos supermercados estão falando. “Eu sou surdo e não escuto nada mesmo do que falam por meio do sistema de som nos supermercados. É necessário a colocação de sistema luminoso e placas”, fala por meio de sinais.

ASES

De acordo o diretor da Associação dos Supermercados de Sergipe, Roberto de Souza Orrico, enfatizou a importância da ação lembrando que em seguida, as discussões serão levadas a um fórum.

“A ASES está apoiando esse projeto por ser uma oportunidade para facilitar a acessibilidade das pessoas com deficiência a exemplo de cegos e surdos. Após essa ação, vamos promover fóruns de debates com a finalidade de discutir formas de melhorar a acessibilidade nos supermercados”, ressalta Roberto Orrico.

Estudante do Ipases, Everton Oliveira é auxiliado durante a ação para embalar as frutas

Ele sentiu dificuldades nos sucos, pois a funcionária perguntou o sabor

Diretor da ASES, Roberto Orrico conversa com Jacivaldo sobre ajudantes nos supermercados

Professores do IPAESE, Daniel e Margarelya Raimundo acompanham aluno surdo na ação

Assessora da ASES (Emily) mostra a Lucas Aribé a facilidade para abrir lata de leite condensado

Participantes da ação no G. Barbosa

Everton e o professor Daniel convedem entrevista à Infonet na linguagem de sinais

Para o idealizador do projeto, o vereador Lucas Aribé, “essa ação é de suma importância para melhorar a acessibilidade das pessoas com deficiência nos supermercados e por isso é bacana trazer cegos e surdos até os estabelecimentos, para que possamos mostrar as dificuldades enfrentadas”.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais