Centrais aproveitam visita de Cármen Lúcia e protestam

0

Centrais aproveitam visita de Cármen Lúcia e protestam no TJ (Foto: Portal Infonet)

Presidente do Sindijus diz que intuito é moralizar o TJ (Foto: Portal Infonet)

Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Cármen Lúcia foi recebida com vaias por centrais sindicais e movimentos sociais, que organizaram um protesto em frente à sede do Tribunal de Justiça momentos antes de a ministra se reunir com o presidente Cezário Siqueira, desembargadores e juízes de Sergipe nesta terça-feira, 16.

A manifestação foi organizada para reclamar principalmente, dos valores de auxílio-moradia e outros benefícios para magistrados.O coordenador de Comunicação do Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário (Sindijus), Gilvan Souza, explicou como funciona a concessão da gratificação e como isso prejudica os cofres públicos. "Queremos a moralização do poder judiciário em relação aos gastos. Enquanto a população escuta esse discurso de crise constantemente, os juízes que já recebem salários de mais de R$30 mil ainda recebem um auxílio moradia de R$4.377. essa garantia se sustenta graças a uma liminar do ministro Luiz Fux. Por ano, são gastos R$7 milhões", reclamou.

Manifestação também serviu para pedir lisura em investigações contra Lula (Foto: Portal Infonet)

Outra pauta de reivindicação foi a cobrança de lisura nos processos de investigação e julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). "Por que não garantir esse direito? Não existem, nas denúncias feitas, as devidas provas. Ainda assim, por esse judiciário, deve ser punido. É dia de dizer também que os trabalhadores brasileiros estão indignados com a tentativa de usurpar nossos direitos com a reforma da previdência social", disse a presidente do Sindicato dos Bancários, Ivânia Pereira.

A deputada estadual Ana Lúcia (PT) esteve presente no ato pedindo a volta de Lula e, durante discurso, classificou o político como o "maior líder da América do Sul".

Cezário Siqueira, presidente do TJ: "Nenhum gasto é feito de forma ilegal (Foto: Portal Infonet)

O presidente do TJ, Cezário Siqueira, rebateu as alegações do Sindijus. "Todos os gastos efetuados pelo Tribunal com magistrados e servidores são feito com base na lei, publicados no nosso Portal da Transparência e também no do CNJ. Nenhum gasto é feito de forma ilegal, e todos os benefícios que os magistrados têm em relação a auxílios moradia e saúde são pagos também aos servidores nos mesmos valores. Não há gastos excessivos. O auxilio moradia, que é tão alardeado, será levado a julgamento pelo STF. Se determinar que pode continuar, continuará. Se não, será encerrado o pagamento", garantiu.

Através de nota, a direção do Sindijus esclareceu que, ao contrário do que aponta o presidente do TJ, "os servidores concursados não recebem auxílio moradia como dá a entender. Os benefícios recebidos pelos servidores mensalmente, além do vencimento base, são o auxílio saúde e o alimentação. Além de não receber, a categoria tem posicionamento veementemente contrário à existência do auxílio moradia", garante. 

Por Victor Siqueira

*Matéria alterada às 11:48 do dia 18/01 para inclusão de esclarecimento da direção do Sindijus, que pediu voz novamente para responder às alegações do presidente do TJ, Cezário Siqueira

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais