CMA está na campanha de combate à violência da mulher

0
(Foto: César de Oliveira)

Uma comissão formada por quatro mulheres esteve na Câmara Municipal de Aracaju (CMA) e foram recebidas pelo presidente do Poder Legislativo Municipal, Vinicius Porto (DEM) e o vereador Adelson Barreto Filho (PSL). A presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, Adélia Moreira Pessoa, a vice-presidente da Comissão e Diretora de Políticas para as Mulheres, Diana Cerqueira, a integrante da comissão, Valdilene Oliveira Martins, acompanhadas da assessora de Comunicação dos Conselhos Ilmara Souza divulgaram a campanha contra a violência da mulher.

Para Vinicius, a iniciativa dessa comissão de visitar a CMA e pedir apoio aos parlamentares é uma atitude louvável, pois, está dando apoio a um grupo grandioso de sergipanas que são contrárias a violência da mulher. “Nós vamos criar aqui uma comissão de frente parlamentar no município de Aracaju contrária a violência da mulher”, anunciou. O vereador completou que a Câmara, como um todo, tem a obrigação de fazer esse gesto à população aracajuana desse mal que ainda existe por parte dos homens.

A comissão aproveitou a visita para propagar a campanha internacional “16 dias de Ativismo pelo fim da violência contra a mulher”, criada em 1991 com o objetivo de promover debates e denunciar as várias formas de violência contra as mulheres. A presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher destacou que as atividades começarão dia 20/11, data em que se lembra o Dia da Consciência Negra. De acordo com Adélia, essa é uma data propícia pois é uma forma de combater o preconceito tanto por ser mulher quanto por ser negra. Dentro dessa programação, está uma Sessão Especial na CMA sobre esse tema.

Já Adelson Barreto Filho, disse que está sempre em sintonia com esse grupo de mulheres que estão em defesa da sua categoria e do seu gênero. “Buscamos em outras ocasiões contato para que possamos absorver essa problemática social que envolve a violência do homem contra a mulher. Nós não poderíamos ficar de fora desta luta, desta ação que tem o único desejo de acabar com essa prática irracional que alguns homens praticam contra essas mulheres”, declarou completando que esse mal causa estrago no berço doméstico e na na construção dos valores familiar.

Fonte: Ascom CMAju

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais