Déda diz que não aceitará “voos solos”

0

Marcelo Déda em entrevista
O discurso proferido pelo governador Marcelo Deda, durante a cerimônia de posse coletiva de Secretários de Estado, foi, para alguns, um recado claro e dirigido e, para outros , apenas a expressão de uma diretriz de governo. Recheado de toques de humor, a fala de Deda teve mensagens tanto para o público interno quanto externo, a exemplo de quando ele se referiu que quando os médicos fazem greve estão agindo contra a sociedade e beneficiando o sistema privado. Por coincidência, ou não, os médicos do município haviam anunciado uma paralisação.

O que mais chamou a atenção de todos foi quando enfático, disse que todos os secretários deveriam estar no mesmo palanque que ele, e foi mais além, disse que eles lhes deviam lealdade, porque isto faz parte de um contrato não escrito. Em sua fala Deda se afirmou, e reafirmou, como Chefe do Governo, sinalizando a todos que apesar do caráter multipartidário, a diretriz era só uma, portanto, assim pode-se entender, nada de vôos solo.

Em uma outra passagem que muitos levaram pelo lado lúdico, Deda falou que alguns políticos são criticados – e citou o caso de Tiririca – mas estes políticos conquistaram um mandato graças aos votos obtidos junto ao eleitorado. Em determinado momento, Deda valeu-se de uma alegoria, ao relatar que não basta a melhor cana e o melhor melado para produzir-se a melhor cachaça.Tem-se que destilar, é o controle do processo de destilação que produz o melhor resultado. Talvez por ter desaprendido a beber, o dr. Deda esqueceu que as cachaças de excelências são aquelas que passam, tal qual outros destilados, por um processo de maturação, cujo resultado será mais apurado quanto maior for o tempo.

Por Ivan Valença

Comentários