Déda mostra projeto para execução do Hospital do Câncer

0

(Foto: Portal Infonet)

A proposta de financiamento para o programa de fortalecimento das redes de inclusão social e de atenção à saúde (Novo), apresentada por meio de carta-consulta pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Planejamento (Seplag), foi recebida positivamente pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Elaborada pela Seplag, em conjunto com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano (Sedurb) e com o apoio de uma especialista técnica do Bid, a proposta defendida no documento busca adquirir recursos em torno de US$ 85 milhões (cerca de R$ 150 milhões) que serão investidos na execução do programa.

A iniciativa tem como meta promover a consolidação da Reforma Sanitária e Gerencial do Sistema Único de Saúde (SUS), um dos principais projetos do Governo de Sergipe para a área da Saúde, que visa a qualificação das operações de assistência de modo sustentável para assegurar melhores condições de saúde para a população sergipana, ao passo que objetiva viabilizar políticas de inclusão social no estado.

A proposta, que esteve entre as pautas defendidas nas reuniões do governador Marcelo Déda e seus assessores em recente visita a Washington, articula-se, ainda, com o programa “Sergipe Mais Justo” que representa um conjunto de estratégias para mapeamento de cidadãos sergipanos em situação de extrema pobreza. Segundo a carta apresentada, o projeto de investimentos contribui para o desafio de implantar um programa de desenvolvimento social e econômico capaz de assegurar melhoria da qualidade de vida e prosperidade para o cidadão sergipano.

Para o secretário de Estado do Planejamento, Oliveira Júnior, o conteúdo defendido pelo governo, por sua consistência e prioridades, foi recebido positivamente nas apresentações iniciais feitas aos representantes do Banco, o que garantirá, se aprovada a proposta, recursos para  complementar os investimentos atuais do Estado, permitindo reforçar a assistência à população mais carente.

Hospital do Câncer

Dentre os quatros pilares nos quais se apoiam o projeto, ganham destaque o combate às doenças negligenciadas, como a esquistossomose e anemias crônicas provenientes de verminoses; e a estruturação e expansão da rede especializada, que possibilitará a aquisição de equipamentos e implementação de serviços para o Hospital do Câncer. Os demais itens referem-se ao fortalecimento institucional e a avaliação e administração do programa.

“Através da parceria com o BID vai ser possível disponibilizar recursos para a compra de equipamentos do Hospital Oncológico de Sergipe (Hose), que será um investimento na ordem de R$ 25 milhões. Também estamos discutindo com o banco a disponibilidade de recursos para a constituição de uma parceria público-privada voltada para o gerenciamento tanto do Hospital do Câncer quanto para o Centro de Reabilitação de pessoas com deficiência”, declarou o secretário de Estado da Saúde, Antônio Carlos Guimarães.

Em outubro do ano passado, o governador Marcelo Déda obteve do ministro Alexandra Padilha, da Saúde, a garantia de liberação de recursos para a construção do Hospital do Câncer e do Centro de Reabilitação de Pessoas com Deficiência. Na audiência, Padilha confirmou a liberação dos recursos de R$ 18,6 e R$ 14,6 milhões, respectivamente, provenientes de emendas coletivas da bancada federal de Sergipe no Orçamento da União. Desde 2007, o governador Marcelo Déda já listava para o Ministério da Saúde uma série de investimentos estratégicos que seriam desenvolvidos ao longo de sua administração, dentre elas estavam programadas a construção do Hospital do Câncer.

Em 15 de julho de 2010, o governador esteve reunido com o então ministro da Saúde, José Gomes Temporão, solicitando o aumento do teto financeiro do estado para a área da Saúde. Ainda durante a audiência, o governador inscreveu o projeto de construção do Hospital do Câncer de Sergipe no Fundo Nacional de Saúde.

Fonte: Secom

Comentários