Déda não confirma reeleição e discorda de pesquisa

0

Déda desconversa sobre eleições

“As pesquisas que tenho me dão vitória”. Foi o que disse o governador Marcelo Déda em relação as pesquisas de intenção de voto para as próximas eleições que mostram ele e João Alves empatados. A declaração de Déda foi feita em entrevista a imprensa, durante o encontro estadual do Partido Democrático Trabalhista (PDT), que aconteceu em Aracaju nesta sexta-feira, 17.

Ele afirmou ainda que “não se desespera quando os resultados são ruins e nem se envaidece quando são positivos”. De acordo com o governador, as pesquisas solicitadas pela base aliada mostram que ele permanece na dianteira da preferência dos sergipanos.

Compromisso com Dilma

Déda ressaltou ainda que sua reeleição não está definida e que seu único compromisso, até o momento, é com a candidatura de Dilma Russef para a Presidência da República. “Eu não sou candidato a nada. O único compromisso que tenho é com Dilma Russef, de quem sou partidário desde menininho”, disse Déda.

Déda fala sobre movimentação dos partidos para próximas eleições
De acordo com o governador, a sua reeleição será debatida pelos filiados do Partido dos Trabalhadores, em tempo apropriado. “Não me peça para falar sobre política este ano, porque a minha preocupação atual é com as obras do Governo e com os efeitos da crise sobre Sergipe”, desconversou Déda.

Entretanto, ele reconheceu a legitimidade das discussões dos partidos de base aliada para definir seus candidatos. “O debate sobre os nomes que disputarão as eleições é um dever de todos os partidos”, afirmou Déda ao abordar a possibilidade de candidatura de Eduardo Amorim, Jackson Barreto e Valadares para o senado federal. Todos os nomes foram acompanhados de aplausos da platéia presente no encontro do PDT, no auditório do Banese. Déda ainda disse que está “aberto ao diálogo e que não existem reservas para se discutir a formação da chapa de 2010”.

Base aliada

“Nós vencemos as eleições passadas porque a base de sustentação da minha candidatura estava unida e não é agora que vamos pensar em nos desunir”, alfinetou o governador. Dessa forma, ele demonstrou interesse em manter a base atual de apoio do Governo para o pleito eleitoral do próximo ano.

Por Valter Lima

Comentários