Déda reúne deputados da bancada de apoio e expõe situação fiscal do Estado

0

Reunião ocorreu no Palácio de Veraneio (Fotos: Marcos Rodrigues/Secom)

Na tarde desta quarta-feira, 1º, o governador Marcelo Déda reuniu os deputados da bancada do governo na Assembleia Legislativa para expor detalhes e compartilhar dados a respeito da situação fiscal do Estado de Sergipe, explicando em detalhes o atual panorama das finanças estatais. O encontro ocorreu no Palácio de Veraneio, contando também com a presença de diversos secretários de Estado.

"Quisemos compatilhar com a bancada a situação fiscal do Estado, mostrando que 2011 é um ano difícil em função, inclusive, dos sinais que o Governo Federal tem dado em relação à sua política macroeconômica, especialmente, medidas de redução de consumo, aumento de juros e uma dramática redução nos gastos públicos, o que diminui as possibilidades de parcerias entre o Governo do Estado e o Governo Federal", explicou o governador Marcelo Déda, ao iniciar a exposição.

Evolução

Mesmo diante de um cenário que exige cautela, o governador fez questão de mostrar aos parlamentares integrantes da bancada que eles, ao lado do próprio governo, foram co-partícipes de uma política de pessoal inovadora e que proporcionou os maiores ganhos das últimas décadas para os servidores públicos de Sergipe. O governador mostrou a evolução salarial das carreiras, em especial, do Magistério, contrapondo o que recebiam em 2006 com o que ganham hoje.

"Com o apoio da bancada, sempre que o Estado teve condições financeiras, o Governo não se recusou a buscar melhorar a situação de algumas categorias, reservando recursos para dar respostas às demandas de algumas importantes categorias que vinham tendo seus direitos postergados ao longo do tempo", enfatizou Déda.

"Esse foi o caso do próprio Magistério que nos últimos quatro anos experimentou reajustes em algumas letras que ultrapassaram até os 200%. O conjunto da folha cresceu 93% nos últimos quatro anos e, com o último reajuste, deve alcançar os 100% de evolução neste período até 2011", ilustrou o governador.

Marcelo Déda também citou avanços como a organização da carreira da Defensoria Pública, Polícia Civil, agentes penitenciários, dentre outras que conquistaram importantes avanços. "Agora estamos em um ano de crise e nós precisamos compreender este fator. O Estado não tem hoje as condições fiscais para atender às reivindicações que as categorias realizam", explicou Déda.

Dívida

Em sua fala, o governador disse que admite que ainda há uma grande dívida na sua administração com os servidores da administração geral. "Do mesmo modo como foram priorizadas algumas categorias no primeiro governo, será priorizada agora a administração geral, buscando as condições para elaborar uma nova política baseada num plano de cargos e salários que aponte para um processo de recuperação efetiva do poder aquisitivo dos servidores de menor remuneração, inclusive aqueles de nível superior da administração geral como médicos, engenheiros, economistas, dentre outros", frisou Déda.

"Não será fácil", disse o governador aos deputados. "Mas se nós nos debruçarmos de forma responsável sobre o problema, se formos capazes de operar as economias e agir com cautela do ponto de vista fiscal, e tivermos capacidade de construir um bom diálogo com os servidores, poderemos ter, pela primeira vez, uma perspectiva de organização das carreiras da administração geral de forma progressiva", pontuou o governador.

Agradecimento

Também durante a reunião, o governador fez questão de agradecer pessoalmente a cada um dos parlamentares que votou no projeto de reajuste geral enviado à Assembleia. Déda salientou que, durante o mandato, se não puder ser deflagrado o processo de concessão de ganhos reais, em compensação, não se permitiu que a inflação corroesse os salários. "Todos os anos nós oferecemos a correção correspondente à inflação do período, pelo menos buscando preservar o poder aquisitivo dos salários", concluiu.

Real situação

De acordo com o deputado líder do governo na Assembleia, Francisco Gualberto, este encontro foi extremamente importante para os parlamentares. "O governador nos mostrou a real situação das finanças do Governo do Estado e, mesmo com algumas informações que diversos deputados já possuíam, essa demonstração mais explícita nos dá a convicção de que o que está sendo proposto para reajuste salarial dos servidores é o máximo possível. Fica claro que não falta boa vontade por parte do governo", destacou Gualberto.

Também participaram do encontro, a primeira-dama e secretária de Estado da Inclusão, Assistência e Desenvolvimento Social, Eliane Aquino, e o vice-governador Jackson Barreto.

Fonte: Secom

Comentários