Desarmamento: Comitê defende Dia em Favor da Vida

0
Vereadores aplaudem iniciativa de Comitê do Desarmamento (Fotos: Cássia Santana/Portal Infonet)

O Comitê do Desarmamento mostrou aos vereadores de Aracaju, na tribuna livre da Câmara Municipal na manhã desta terça-feira, 12, que o índice de assassinatos praticados com uso de arma de fogo está em queda neste ano. Mas na ótica do coordenador do Comitê, Fábio Costa, os dados ainda são preocupantes. Nos dados gerais, no ano passado, segundo o coordenador, foram registrados 181 assassinatos com arma de fogo e, neste ano, são contabilizados, até o momento, 159.

Na tribuna livre, o coordenador do Comitê observou que, fazendo o comparativo, ocorreu uma redução de 13,83% neste tipo de crime ocorrido em Aracaju. No entanto, ainda se percebe localidades com grande incidência destes assassinatos, conforme observou o coordenador do Comitê. De acordo com os dados, o Santa Maria permanece o bairro mais violento da capital, com 32 homicídios com arma de fogo neste ano. Levando em consideração que em 2012, foram registrados 20 assassinatos com uso de arma fogo, neste ano houve um crescimento de 60% destes assassinatos naquele bairro.

O conjunto Porto Dantas e o bairro Cidade Nova também constam, segundo o coordenador do Comitê, como bairros mais violentos, em se tratando de homicídios com uso de arma de fogo. No ano passado, foram nove e neste ano aumentou para onze casos, no Porto Dantas, enquanto que na Cidade Nova foram contabilizados 12 no ano passado e neste ano aumentou para 16.

Fábio Costa: Dia em Favor da Vida

O coordenador também registrou os bairros que reduziram as mortes provocadas por arma de arma: América [no ano passado foram 12 e quatro neste ano], Industrial, com dez em 2012 e seis neste ano; Olaria, com 14 no ano passado e quatro neste ano; Lamarão, com cinco no ano passado e um neste ano.

Como sugestão, o coordenador do Comitê observou que a realização de oficinas educativas e de palestras nos bairros da cidade são pontos fundamentais para afastar os jovens da situação de risco e defendeu a instituição do Dia em Favor da Vida, que deveria ser criado, conforme enfatizou, a partir de projeto de lei específico apresentado pelos próprios vereadores.

O coordenador informou ainda que o número de armas recolhidas de forma espontânea é satisfatório. Neste ano, segundo informou, foram entregues 141. “O que equivale a uma média mensal de 14,1 armas entregues espontaneamente e isto é satisfatório. Queremos chegar a 200 armas entregues até o mês de dezembro”, observou.

Os vereadores aplaudiram as colocações do coordenador do Comitê do Desarmamento e demonstraram interesse em abraçar as propostas defendidas pelo coordenador durante a tribuna livre na Câmara Municipal de Aracaju, cuja realização foi sugerida pelo vereador Roberto Moraes (PR).

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais