Desempenho de escolas no Enem motiva ação do Tribunal

0

Conselheiro Clóvis Barbosa (Foto: César de Oliveira)
Ser um instrumento de vigilância das despesas com a Educação, buscando assegurar a qualidade do ensino e a melhor utilização dos recursos para esse fim, também é uma competência do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Ciente de tal responsabilidade, o órgão irá iniciar uma avaliação nas escolas sergipanas que tiveram um desempenho muito aquém do ideal no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

De acordo com o conselheiro Clóvis Barbosa de Melo, que é o responsável pela área, ainda esta semana sua equipe entrará em contato com a Secretaria de Estado da Educação (Seed). “Estamos preocupados com o nível do ensino que está sendo oferecido à comunidade. Nos próximos dias encaminharemos a documentação necessária e vamos ouvir o secretário de Educação para que ele argumente a respeito dessa situação”, observou.

A ação atende a uma proposta do Ministério Público de Contas (MPC), que usou como parâmetro os dados divulgados no último dia 19 de julho pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep). Através dos números, ficou constatado que as menores médias do Exame no Estado são da rede pública.

“Com base nos dados do Enem, selecionamos as 20 escolas públicas estaduais e municipais que detiveram as piores notas e propusemos que o Tribunal fizesse uma avaliação na estrutura dessas escolas”, colocou o procurador geral do MPC, João Augusto dos Anjos Bandeira de Mello.

Conforme o procurador, o ideal é que toda a estrutura das unidades de ensino selecionadas seja avaliada. “É preciso ver se as salas de aula estão em boas condições, se há professores disponíveis, se o transporte é o ideal, enfim, que se faça um retrato desses estabelecimentos para verificar se as notas no Enem estão tão baixas por problemas na estrutura”, concluiu.

Fonte: Ascom TCE/SE

Comentários