Edvaldo descarta apoio a André Moura e alfineta Valadares

0
Edvaldo descarta apoio a André Moura e alfineta Valadares (Foto: Portal Infonet)

O prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) se pronunciou sobre o cenário político que está sendo construído para as eleições deste ano. Por conta da relação próxima com o deputado federal André Moura (PSC) após a liberação de diversas emendas para a Prefeitura de Aracaju, ele se pronunciou sobre as especulações acerca de um possível apoio às escuras ao líder de Michel Temer no Congresso.

Edvaldo rechaçou a possibilidade de apoio a André e reforçou a aliança com a chapa majoritária de Belivaldo Chagas (PSD), que envolve os candidatos a Senado Jackson Barreto (MDB) e Rogério Carvalho (PT). “Parece que as pessoas não me conhecem ou fingem. Sempre fui político de grupo, nunca deixei de participar daquilo que acredito. A chapa é formada por Jackson e Rogério, e é a que vamos apoiar, inclusive com a presença do PC do B, que é meu partido. […] Mostra o gesto que tenho com Belivaldo, Jackson, Rogério e todos. […] É sempre especulação. Muita gente faz, mas não deveria. Se tem alguém que não especula sou eu. Sempre tive uma posição muito clara”.

Valadares

Recentemente, André Moura declarou em programas de rádio do Estado que o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) se posicionava contrariamente à liberação de emendas para Aracaju. Questionado sobre isso, Edvaldo Nogueira confirmou. “Valadares sempre trabalhou contra, se colocou como um obstáculo na liberação de recursos para Aracaju. Ele só se esforçou para liberar recursos quando foi na véspera da eleição, porque achava que o filho iria ganhar. E liberou a emenda que estou usando”, alfinetou.

O Portal Infonet procurou o senador Valadares. Por telefone, ele rebateu as alegações do prefeito. “A única coisa que tenho a dizer é que hoje, ao contrário da eleição de 2016, André Moura e Edvaldo comem do mesmo prato, ou seja, são aliados às ocultas. Isso porque o PC do B não aceita o apoio ao líder de Temer, aí ele se aproveita de uma informação falsa do meu adversário para carimbar uma mentira. Jamais faria uma coisa dessas com Aracaju. João Alves era meu adversário e não fiz isso. Pelo contrário, eu ajudei”.

O Portal entrou em contato também com o deputado federal André Moura, mas sem sucesso. Estamos à disposição pelo telefone 2106-8000 e e-mail jornalismo@infonet.com.br. 

Apoio a Belivaldo

Edvaldo reforçou na coletiva o apoio a Belivaldo Chagas (PSD), candidato a reeleição ao Governo do Estado, e que sugeriu o nome de Eliane Aquino (PT), então vice-prefeita, para concorrer ao cargo de vice-governadora. “Sempre foi fechado meu apoio à chapa majoritária. Fui o primeiro político que não está disputando cargos a declarar apoio a Belivaldo. Trabalhei incessantemente para que ele fosse nosso candidato. Prefiro trabalhar a ficar falando o que estou fazendo. Defendi de maneira efetiva. Poucos políticos trabalharam como eu para que Belivaldo fosse candidato. Fui eu que, em uma reunião com todos os partidos, defendi o nome de Eliane para vice, inclusive quando as pessoas nem queriam ainda, teve até resistência de alguns. Apesar de sofrer porque vou ficar sem minha vice, que é uma pessoa que tenho confiança, foi minha ideia. Trabalhei para consolidar a chapa majoritária. Não tem nenhuma novidade no ar. Vou fazer campanha como um eleitor, como um prefeito, nos momento que estiver fora da Prefeitura de Aracaju.

PC do B no chapão

A intenção do PC do B era formar uma ‘chapinha’ para as candidaturas proporcionais. No entanto, segundo Edvaldo, isso poderia prejudicar a candidatura de Belivaldo e, por isso, foi decidido a permanência no ‘chapão’. “Senti que a divisão prejudicaria Belivaldo, como prejudicou (sobre a ‘chapinha’ de Podemos e Avante com PMN e Patriota). Defendi no PC do B que nada que viesse a prejudicar a candidatura majoritária a gente deveria participar. Foi um gesto meu e do PC do B para fortalecer a candidatura de Belivaldo”.

Por Victor Siqueira

Comentários