Eleição da Câmara de Lagarto vai parar na Justiça

0

O vereador Gustinho Ribeiro (PV), da Cidade de Lagarto, entrou com ação na justiça pedindo a anulação da eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal daquele município por ela ter sido feita desrespeitando o que determina o artigo 21 do Regimento Interno da Casa. Nele está dito, segundo Gustinho, que o processo eleitoral para escolha da Mesa Diretora só pode ser aberto com a presença mínima de maioria absoluta dos integrantes do Poder Legislativo Municipal. Ou seja, seis dos dez vereadores.

No entanto, segundo Gustinho, o vereador Wilson Fraga, o “Xéxeu” (PSDB), abriu o processo eleitoral com as presenças de apenas cinco vereadores e mesmo assim fez a eleição que o reconduziu para mais um mandato como presidente da Câmara de Lagarto. “Ele infrigiu os dispositivos legais e regimentais para manter-se no poder a qualquer custo”, disse Gustinho.

Ele explica que diante da ilegalidade praticada por Xéxeu o bloco de vereadores que dá sustentação ao prefeito Walmir Monteiro (PSC), formado por outros cinco legisladores, obstruiu o processo se ausentando da sessão que abriu o processo eleitoral e elegeu Xéxeu presidente da Câmara ilegalmente. Por isso, informa Gustinho Ribeiro, decidimos recorrer ao Poder Jusdiciário para que o princípio da legalidade e da verdadeira justiça seja restabelecida”, disse.

Comentários