Eleitor vota por outro e TRE/SE reconhece equívoco

0
O erro aconteceu no Colégio Michelangelo, em Aracaju (Foto: Portal Infonet)

Um homem se deparou com situação revoltante no último domingo, 05, dia das Eleições de 2014. O profissional de marketing Vito Dragone, de 30 anos, foi votar por volta das 15h40 e ao chegar ao local, percebeu que outra pessoa já havia votado em seu nome. O caso aconteceu no Colégio Michelangelo, em Aracaju. Na tarde desta quarta-feira, 8, o Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe reconheceu o equívoco e disse não tem como reparar o erro, que teria sido causado pela semelhança no nome dos eleitores.

De acordo com Vito, o comprovante de que o voto já havia sido computado ainda estava lá quando ele chegou na zona eleitoral. “Foi muito estranho. Quando eu cheguei para votar, me informaram que já tinham votado. Votaram no meu lugar”, informou o homem.

“Quando vi o que estava acontecendo, procurei a coordenadora da zona em que eu voto e ela me encaminhou para a coordenação geral. Depois disso, fui aconselhado a procurar o Tribunal Regional Eleitoral”, explicou a vítima.

Vito Dragone se manifestou nas redes sociais sobre o ocorrido

Vito Dragone compareceu ao TRE na tarde da última terça-feira, 07, e fez um requerimento referente ao acontecido no domingo de Eleições.

O homem ficou revoltado com a situação. “Estou indignado. Me tiraram um direito que eu tenho. Fazem tantas exigências, o voto é obrigatório. Eu quero cumprir com minhas obrigações e acontece um erro assim”, disse Vito Dragone.

TRE

Na tarde desta quarta-feira, 08, o coordenador das Eleições do TRE, Marcelo Gerard, explicou o que aconteceu. “Na verdade, houve um equívoco na digitação do número de votação. Acontece geralmente quando os nomes entre os eleitores se parecem e os mesários acabam se confundindo”, disse o coordenador.

Marcelo Gerard disse ainda que não tem como mudar o ocorrido. “Infelizmente, não tem como mudar. Realmente, é um problema que, mesmo dificilmente, acontece. Não tem como evitar o erro em 100%”, falou.

O coordenador das Eleições deu recomendações aos envolvidos no problema. “A pessoa que votou no lugar do Vito vai constar como se não tivesse votado. Então, é importante que as pessoas confiram sua situação e procurem um cartório para regularizar, caso tenha havido qualquer erro. O rapaz que teve seu voto computado por outra pessoa não precisa fazer nada pois já consta que ele votou”, completou Marcelo.

Por Helena Sader e Verlane Estácio

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais