Governadores falam sobre corte no Orçamento

0

Cid Gomes, governador do Ceará (Fotos: Alcione Martins/ Portal Infonet)

Após uma reunião fechada com os governadores da região Nordeste no Hotel Duoro, município sergipano de Barra dos Coqueiros na manhã desta segunda-feira, 21, o governador Marcelo Déda (PT) foi até o Aeroporto de Aracaju recepcionar a presidente Dilma Roussef (PT) para que ambos façam por volta do meio dia, a abertura oficial do XII Fórum de Governadores do Nordeste.

Todos os governadores presentes ao evento defenderam o retorno da antiga CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) para a Saúde e a maioria mostrou preocupação com o corte de R$ 50 bilhões no Orçamento já anunciado pelo Governo Federal.

Eduardo Campos, governador de Pernambuco
De acordo com o governador Marcelo Déda, o evento é uma oportunidade de um diálogo face a face com a presidente Dilma Roussef. Quanto aos cortes do Orçamento da União. “Nós vamos verificar aqui no fórum o detalhamento do corte. É uma situação de apreensão para todos os governadores. Que não sejam tão profundos e que não seja o melhor remédio”, ressalta.

“Orçamento no Brasil não é uma peça impositiva. A presidente cortou, mas de forma transparente”, afirma o governador do Ceará, Cid Gomes. “Claro que todo mundo quando fala em cortes acha ruim, mas a gente sabe que os cortes são necessários, não dá para ser demagógico nesta área e nem brincar com o valor do equilíbrio fiscal. Do ponto de vista fiscal são necessários sim, vamos ter

Antônio Anastasia, governador de Minas Gerais
corte, mas também crescimento da economia, geração de emprego”, acredita o governador de Pernambuco, Eduardo Campos.

Conterrâneos

O governador de Minas Gerais Antônio Anastasia está participando do evento como convidado, mesmo o estado não fazendo parte da região Nordeste. “Minas Gerais não faz parte geograficamente do Nordeste, mas estamos ligados. A presidente também é de Minas”, diz.

Indagado sobre o corte no Orçamento, Anastasia respondeu: “Cada esfera do Governo tem a sua realidade financeira, entendo que os projetos precisam ter a sua continuidade”, destaca.

Por Aldaci de Souza

Comentários