Governo cogita elevar contribuição para conter déficit da previdência

0
Secretário da Fazenda Ademário Alves explica que medidas têm que ser tomadas para reduzir déficit da previdência (Foto: Portal Infonet)

Para conter o déficit da previdência, o Governo do Estado pensa em elevar a contribuição dos servidores. Atualmente, o desconto no contracheque dos funcionários públicos é de 13%. A medida, porém, poderá ser adotada somente após uma definição sobre a Reforma da Previdência, que hoje está travada no Congresso Nacional.

Para as despesas previstas para o próximo ano, o valor total das despesas previdenciárias está estimado em R$2,2 bilhões, gerando um déficit de R$1,2 bilhão. Há uma expectativa de crescimento de custos na ordem de R$240 milhões, ao contrário do que houve no ano passado, em que houve uma redução.

Durante a apresentação do balanço financeiro do segundo quadrimestre do ano (maio-agosto) na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), o secretário de Estado da Fazenda Ademário Alves explicou as dificuldades que são impostas pelos altos custos previdenciários e falou sobre a espera pela Reforma da Previdência. “Essa é a principal despesa hoje, a que mais contribui para o déficit estrutural do Estado. Naturalmente, a ideia é que se aguarde se haverá nacionalmente alguma alteração. Não significa que, se não houver nenhuma medida, o Estado não vai tratar do tema. É imperativo que agora no início do ano sejam feitas algumas alterações na previdência, independente da aprovação da reforma. Claro que, se houver, isso evita que se faça algo que venha a ser questionado, alguma medida que esteja em divergência do que vai ser feito nacionalmente”, destacou.

O secretário explicou que a necessidade de promover uma alteração no sistema previdenciário no Estado é urgente, e que deve ser feita ainda no início do ano, se não houver uma decisão sobre a reforma. “Alguns estados aumentam a alíquota de contribuição dos servidores. Esse é um tema que iremos analisar, junto a outras ações, eventualmente, para em seguida tomar a decisão”, finalizou.

Por Victor Siqueira

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais