Governo federal desmonta Dataprev e fecha unidade em Sergipe

0
Dataprev fechará 20 filiais no Brasil (Foto: Dataprev)

O governo brasileiro promoveu um verdadeiro desmonte na Dataprev, uma empresa pública, conforme o próprio informe da estatal se classifica, que fornece soluções de Tecnologia da Informação e Comunicação para o aprimoramento e a execução de políticas sociais no Brasil, e fechará filiais em 20 estados brasileiros. A unidade de Sergipe está no rol dessas filiais que deverão ser desativadas até o final do mês de fevereiro deste ano, de acordo com as informações transmitidas pela própria estatal.

Para dar sequência ao planejamento, já está em vigor o Programa de Adequação de Quadro (PAQ), que trata de uma série de incentivos para demitir voluntariamente os empregados lotados nas 20 filiais da empresa que serão desativadas. Estão no alvo deste plano do Governo Federal, as filiais instaladas nos estados de Sergipe, Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima e Tocantins.

Nesse Programa de Adequação de Quadro, a Dataprev pretende alcançar 493 empregados, o que representa 15% dos 3.360 funcionários da estatal. Em nota oficial, a Dataprev informa que o plano é consequência da expressiva queda de produtividade observada nas unidades regionais. Com essa iniciativa, a Dataprev centralizará as atividades em sete regionais, classificadas como estratégicas para a atividade da estatal, nos estados do Ceará, Distrito Federal, Paraíba, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e São Paulo, onde funcionam as unidades de Processamento de Dados [data centers] e de Desenvolvimento (UDs).

Em nota, a Dataprev explica que a digitalização e modernização das ferramentas tecnológicas impulsionaram uma nova lógica de funcionamento e organização das atividades produtivas da Dataprev. “Hoje, essas atividades estão concentradas nas unidades de Processamento de Dados (data centers) e Desenvolvimento (UDs), responsáveis por toda a geração de receita da empresa”, explica a estatal, na nota. “Com este movimento, as demais unidades regionais tiveram queda expressiva de produtividade, devido à baixa demanda local, e passaram a funcionar apenas como núcleos administrativos, fora do escopo para o qual foram originalmente criadas”.

Com essa estratégia, a Dataprev projeta uma economia anual avaliada em R$ 93 milhões, resultado previsto para começar a ocorrer em menos de um ano. Neste montante, estão incluídas as despesas com a folha de pagamento dos empregados e gastos operacionais, segundo a estatal.

por Cassia Santana

Comentários