Hospital do Câncer:Rogério comenta disputa pela autoria do projeto

0

Rogério: “Não cabe procurar um pai para o projeto” (Foto: Divulgação)
O deputado Federal e ex-secretário de Estado da Saúde, Rogério Carvalho (PT), afirmou na manhã desta terça-feira, 1º, que seria uma “tolice” disputar com o senador Eduardo Amorim (PSC) pela autoria do projeto que propõe a construção do Hospital do Câncer de Sergipe. Ele fez questão de recordar que o pleito é uma antiga reivindicação de toda sociedade, sobretudo das categorias da Saúde – médicos e enfermeiros – mas que, “somente em 2007, tal sonho passou a receber a devida importância por parte da gestão pública”.

Sem querer polemizar sobre o assunto, até mesmo por se tratar de um aliado político do senador Amorim, Rogério destacou que o principal aspecto em todo debate está no somatório de esforços que a bancada sergipana em Brasília passa a assumir pela efetivação do projeto.

“Não cabe agora ficar procurando por um pai para o projeto, que na verdade é um antigo sonho não apenas da população do estado, como dos próprios profissionais de saúde. Mas também não podemos nos furtar de dizer que foi em 2007 que passou a existir uma proposta concreta de construção para o Hospital. Proposta esta fruto de muitas conversas com as categorias médicas e mediada pela vontade do governador Marcelo Déda de realizá-la”, disse Rogério.

De acordo com ele, ainda no início da sua gestão como secretário de Estado da Saúde, uma comitiva composta por médicos e enfermeiros do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) o procurou para debater sobre a viabilidade da construção do Hospital do Câncer. “A partir deste primeiro encontro mostramos o interesse do Governo do Estado em construí-lo e passamos, assim, a agendar inúmeras reuniões com os próprios profissionais”, recorda Rogério, acrescentando que inicialmente o projeto foi pensado no formato de Parceria Público-Privada (PPP).

Projeto

Em 2009, a Secretaria de Estado da Saúde enviou técnicos (entre eles médicos, enfermeiros e arquitetos) ao estado de São Paulo (SP) para conhecer de perto o funcionamento dos principais centros de referência em tratamento oncológico no país. “A idéia era assimilarmos tecnologia para construção do nosso projeto. Foram visitados o Hospital Sírio Libanês e o Hospital do Câncer de Jaú”, disse Rogério.

Concomitantemente, explica o ex-secretário de Saúde, o edital de PPP para construção do Hospital do Câncer foi publicado em todo país. “Recebemos uma proposta do Sírio Libanês, mas infelizmente havia alguns itens que não ficaram a contento da Secretaria de Saúde e a proposta não se viabilizou”, recorda.

União de Forças

Diante do impasse na captação de empresas parceiras para construção do Hospital do Câncer, veio do então deputado Federal Eduardo Amorim a principal força parlamentar para captação de recursos junto ao Governo Federal.

“Passamos, a partir daquele momento, a contar com o apoio incondicional do deputado e hoje temos a certeza de que, mais do que nunca, o projeto está mais forte, pois conta com o compromisso de sete deputados federais, de dois senadores, do governador Marcelo Déda e de toda população sergipana”, concluiu Rogério.

Fonte: Assessoria Parlamentar

Comentários