João garante punir exigência de farda da gestão atual

0

João Alves Filho: "Foi um caso isolado" (Foto: Portal Infonet)

O prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), garantiu na manhã desta sexta-feira, 28, durante coletiva de imprensa, que a exigência do fardamento seja com a logomarca da administração anterior ou da gestão atual, na Escola Municipal Professor Diomédes Silva Santos, localizada no bairro Santa Maria, foi um caso isolado, que o deixou  “transtornado”. Ele promete punir que está exigindo farda com logomarca da gestão atual.

O fato ganhou repercussão nacional, em matéria da TV Sergipe exibida no Bom Dia Brasil desta sexta-feira, 28, seguida de um comentário duro do jornalista Alexandre Garcia.

A farda da gestão atual tem uma faixa verde e da gestão anterior, laranja (Foto: Reprodução Rede Globo)

“Isso foi um caso isolado. Quando eu vi a matéria achei que era uma loucura, fiquei transtornado. Eu, por natureza, nesses meus 39 anos de política, nunca escolhi ninguém por coloração política. Se eu estivesse proibindo a entrada dos estudantes por causa da cor da camisa da gestão passada, seria estar desmentindo toda a minha biografia. Não há proibição de entrar sem farda, o que ocorreu foi algo pontual”, garante.

Quanto à exigência da logomarca, João Alves Filho lembrou que na sua administração, servidores que eram de outra gestão continuam trabalhando normalmente na Prefeitura de Aracaju. “Os ocupantes de Cargos em Confiança continuam aqui, sejam do PT, do PSOL, inclusive na Comunicação”, diz.

Providências

De acordo com o prefeito de Aracaju, não vai admitir quem fizer uma exigência dessas de forma intencional. “Vamos estabelecer medidas severas. Recomendei à secretária de Educação Márcia Valéria que tome uma ação severa. Ela me informou que foi uma decisão pontual a partir de uma interpretação equivocada. Não há problema algum em utilizar o fardamento da gestão anterior", reafirma.

Indagado pelo Portal Infonet o fato de a própria Secretaria de Educação ter admitido na matéria que a farda está sendo trocada por conta da logomarca da gestão anterior, João Alves completou:

“Vocês são jornalistas e quando querem uma resposta ligam para os assessores de Comunicação. Nesse caso, o assessor não estava na escola e não estava rigorosamente a par do que estava ocorrendo, por isso a superficialidade da justificativa”, acredita.

Repercussão

O fato ganhou repercussão nacional. Nas redes sociais, já são centenas de compartilhamentos. Na matéria, mães se mostram angustiadas por terem recebido apenas uma farda e com a proibição de não poderem usar a farda com a barra laranja, da gestão anterior, os alunos ou estão comparecendo com o fardamento sujo ou estão perdendo aulas,  Para o jornalista Alexandre Garcia, "essa é a má lição de mostrar que a aparência vale mais do que o conteúdo. Estão usando o público com interesses pessoais, indo contra o que a Constituição diz que a administração tem que ser impessoal. É projetar isso no uniforme das crianças, como se fosse camisa de atleta com a propaganda do nome do patrocinador. É como se dissesse que quem não veste a camisa do prefeito não pode entrar na escola".

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais