Jornalistas e radialistas reivindicam na Tribuna Livre

0

Fernando Cabral, presidente do Sindicato Radialistas (Fotos: Portal Infonet)

A situação salarial dos jornalistas e radialistas de Sergipe foi pauta da Tribuna Livre na manhã desta segunda-feira, 26 na Câmara Municipal de Aracaju. O requerimento é de autoria da radialista e vereadora Emília Correia (DEM). Na ocasião, os representantes das categorias, Fernando Cabral e Caroline Rejane, lamentaram os baixos salários e o não pagamento do auxílio alimentação e auxílio creche por parte da classe patronal.

“Nós tomamos a iniciativa de apresentar esse requerimento em virtude dos problemas enfrentados pelas categorias, principalmente por conta da desvalorização salarial dos radialistas e jornalistas. É preciso reconhecer os valores desses profissionais que são formadores de opinião e com isso solicitei a Tribuna Livre, para que haja a exposição dos problemas enfrentados”, destaca a vereadora Emília Correia.

Caroline Rejane, presidente do Sindijor

O primeiro a usar a tribuna foi o presidente do Sindicato dos Radialistas de Sergipe, Fernando Cabral. “Os patrões não colocaram no piso salarial, o repasse da inflação do período e querem conceder reajuste de apenas 7%, quando estamos reivindicando 12%. Todos os anos nós cedemos nos pontos da pauta e a classe patronal não avança na questão social, a exemplo da escala de folga”, destaca.

Fernando Cabral informou que na última quinta-feira, 22, entregou ao sindicato patronal, uma contra-proposta com 13 pontos específicos, sendo oito pontos comuns entre os jornalistas e radialistas.
“Receberam a contra-proposta, mas só acenam com os 7% sem o repasse da inflação. Outro ponto lamentável é quanto ao auxílio-alimentação. Todas as categorias recebem ticketes-alimentação de R$ 300 a R$ 400 e nós estamos pedindo R$ 20 ticketes de R$ 15 para minimizar a situação da categoria”, ressalta lembrando que o Piso Salarial dos radialistas em Sergipe é de R$ 1.032 e 36 centavos e dos trabalhadores administrativos é de R$ 730.                                                                      

                                                                                                            

Requerimento é de autoria da vereadora Emília Correia

Sindijor

A presidente do Sindicato dos Jornalistas de Sergipe, Caroline Rejane Sousa, também lamentou o Piso Salarial da categoria. “O Piso dos Jornalistas de Sergipe é tão baixo [R$ 1.180] que os profissionais não conseguem ter apenas uma jornada de trabalho e isso traz prejuízos porque poderíamos ter três jornalistas em três redações”, entende.

Carol, como é conhecida lamentou o não pagamento do auxílio-creche. “Uma pesquisa da Universidade Federal de Santa Catarina, mostra que 64% dos jornalistas que atuam no país são do sexo feminino. Temos uma reivindicação do auxílio-creche, pois com um piso de apenas R$ 1.180, não tem como uma jornalista pagar um Hotelzinho, um berçário ou uma creche para deixar seus filhos pequenos, caso não tenha como contar com apoio familiar”, enfatiza acrescentando que no momento das negociações chegou ao ponto de dizer que se o índice de aumento fosse maior, haveria grande número de demissões.

                                                                                                           

Sessão Especial reuniu jornalistas e radialistas de Sergipe

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais