Jornalistas lamentam morte do governador Marcelo Déda

0

(Fotos: Arquivo Portal Infonet)

Apesar do sentimento de tristeza, jornalistas decidiram prestar as suas homenagens ao governador, tão logo houve a confirmação oficial da morte de Marcelo Déda.

O jornalista Ivan Valença, descreve que o governador sai desta vida para entrar para a história. “Déda sai da vida e entra para a história. Com a sensibilidade e um poeta e a eficiência de um cineasta, Déda foi um grande político que Sergipe reverenciou neste século 21. Ganhando ou perdendo eleições, sempre foi um líder que conduziu seu partido, o PT, a um porto seguro. Foi o grande maestro destes primeiros anos e a história lhe fará justiça”, afirma.

Em meio à emoção, o jornalista Adiberto de Souza descreve que o governador viveu para irradiar esperanças.

“É muito difícil falar sobre a morte de um jovem como Marcelo Déda, um político que viveu para irradiar esperanças. É como se tivesse tombado um frondoso Jequitibá, árvore gigante que passa a existência lançando sementes aladas nos campos em sua volta. Homens como Déda nunca morrem, simplesmente transforma-se em estrelas para, do firmamento, clarear os caminhos da humanidade. Que a terra lhe seja leve!”

A editora do Portal Infonet e também jornalista Raquel Almeida também fez questão de dar seu depoimento lamentando a morte do governador. “Déda embalou meus sonhos por uma sociedade mais justa e digna, de ideais éticos e valorosos. Foi um líder e representou o “novo” para minha geração. Claro que não conseguiu cumprir tudo que prometeu e o que eu gostaria, mas fez diferença e trouxe esperança ao povo sergipano. Ele conseguia como ninguém me fazer emocionar, seja nos discursos, entrevistas ou com poesia. Déda foi embora muito cedo!”, lamenta.

Por meio das redes sociais, outros jornalistas também se manifestaram. A jornalista Aldaci de Souza fesz questão de ressaltar o jeito de ser do governador.

"Como eu gostaria que a noticia que chegou aos quatro cantos do país, fosse mais um daqueles boatos que tanto a gente criticou. Perdemos um líder, um guerreiro, que lutou até os últimos instantes. Déda era muito gentil com a imprensa, sempre atendia a mim e aos demais repórteres com muita atenção, podia estar pra lá de atrasado para as solenidades, mas sempre nos atendeu brincando, escolhendo o lado que ia dar entrevistas, se protegendo do sol".

A jornalista e amiga do governador Ofélia Onias, também se pronunciou por meio da sua rede social. "Perder um amigo é uma das coisas mais dolorosas que existe, é um pedacinho da gente que vai junto. Perder um amigo como Marcelo Déda, é mais doloroso ainda. É uma parte da minha juventude, da minha formação ideológica, da minha militância política e da minha história que também vai com ele".

Mais homenagens

Além de comunicadores, diversos companheiros do Partido dos Trabalhadores (PT), fizeram questão de se manifestam sobre o legado deixado por Marcelo Déda, líder partidário nascido no município de Simão Dias.

*A matéria foi alterada às 15h43 para acréscimo de demais notas

Por Aisla Vasconcelos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais