Marcelo Déda é homenageado em Missa de 7º dia

0
Familiares e o governador em exercício, Jackson Barreto durante a missa de 7º dia (Fotos: Portal Infonet)

Palavras de força, carinho e admiração marcaram a realização da Missa de sétimo dia do governador Marcelo Déda nesta segunda-feira, 9. A missa, celebrada na Catedral de Aracaju pelo arcebispo Dom Palmeira Lessa e pelo bispo auxiliar Dom Henrique, contou com a presença de familiares, amigos, autoridades e povo sergipano.

“O tempo inteiro eu coloquei em minha cabeça que Deus tem uma missão muito melhor para Déda e por isso, precisou levá-lo. Eu sei que através dele, a gente ainda vai ter muita coisa boa, pois ele estará olhando por nós e por nosso estado”, disse a esposa de Marcelo Déda, Eliane Aquino.

Eliane Aquino também agradeceu ao povo sergipano pelas manifestações de apoio e carinho. “Eu achava que seria tudo muito bonito, mas não tinha dimensão das coisas. Foi emoção do começo ao fim. Em todos os momentos em que precisei da população, nunca fiquei sem receber resposta. A população me ajudou através de orações, correntes e mensagens. E eu sempre mostrei isso para Déda. Nunca estivemos sozinhos”, destaca.

Missa foi celebrada pelo arcebispo Dom Palmeira Lessa e pelo bispo auxiliar Dom Henrique

O governador em exercício, Jackson Barreto, participou da celebração ao lado da família de Déda e ressaltou a importância da fé em Deus para a superação do momento difícil. “Deus é o começo, o caminho, a verdade e as vidas. As coisas começam e termina com ele. Temos que imploram proteção, sabedoria e compreensão para entendermos a vida”, afirma.

O ex-prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, destacou a figura de Marcelo Déda como político e pessoa comum. “Déda foi uma figura extraordinária. Como orador, sabia tocar o coração das pessoas, falava de temas difíceis de maneira fácil e objetiva. Foi um grande defensor das pessoas mais humildes e um homem dedicado ao povo de Sergipe. Sem falar no pai de família exemplar, pois soube cuidar da esposa e dos filhos”, homenageia.

O ex-prefeito Edvaldo Nogueira ressaltou a figura de Déda como homem e político

Homenagens

A catedral e sua parte externa, onde foram disponibilizados um telão e cadeiras, foram totalmente ocupadas pelas pessoas que queriam participar das homenagens. Entre os admiradores de Marcelo Déda, a manicure, Creuza Batista, que fez questão de acompanhar todos os rituais.

“Participei do velório e agora estou aqui na missa. Eu gostava de Déda como governador e como pessoa. Ela era um homem bom e falava com todos sem distinção de ser rico ou pobre. Acho que é meu papel ser solidária com a família”, diz.

Emocionada, a assistente social, Doraide Alcântara, militante do Partido dos Trabalhadores (PT), fala da missa como um momento de manifestação de carinho do povo sergipano e atribui sua participação na política ao incentivo dado por Marcelo Déda.

Creuza Batista acompanhou todas as homenagens

Doraide Alcântara entrou na militância do PT por incentivo de Marcelo Déda

“Para mim a morte dele é uma perda de referência política, pois entrei na militância através dele. Esta missa me traz um choque de realidade, parece que ainda não me dei conta de que isso está realmente acontecendo. Aqui as pessoas estão demonstrando que gostam dele como pessoa e política.

Falecimento

O governador Marcelo Déda morreu na madrugada da última segunda-feira, 2, no Hospital Sírio-Libanês, onde estava internado em tratamento do câncer gastrointestinal. Após velório no Palácio Museu Olímpio Campos, o corpo de Marcelo Déda foi cremado em Salvador na terça-feira, 3.

As cinzas do governador Marcelo Déda terão três destinos: uma parte ficará conservada com familiares, outra será lançada ao mar e uma quantidade será destinada à visitação pública, possivelmente no Parque da Sementeira.

Por Verlane Estácio

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais