Márcio diz que PT não abre mão da chapa majoritária

0

Márcio Macedo: "Essa discussão só valoriza o passe de Dr. João" (Foto: Portal Infonet)

De olho nas eleições de 2014, políticos sergipanos já arregaçaram as mangas em busca de votos e principalmente de composições partidárias. Quem estará coligado com quem no próximo pleito? A discussão ganha corpo e existem até comentários dando conta de uma possível aliança entre o PT, PMDB e PSB com o DEM na indicação do candidato ao Senado Federal, que nessa união poderia ser dos Democratas. O deputado federal Márcio Macedo (PT) descartou a possibilidade.

“Estão dando uma valorização muito grande a essa questão. Essa tese não tem possibilidade de se aplicar na prática. Ela parte de duas premissas incorretas. Primeiro, eu acho que será uma surpresa se for diferente pois Dr. João será candidato a governador ou então indicará um candidato do DEM. Portanto, essa discussão só valoriza o passe de Dr. João, não tem nenhuma aplicabilidade”, entende.

De acordo com o deputado federal, uma outra premissa errada é tirar da disputa, ou pedir que um partido do tamanho do PT renuncie a sua condição de fazer política.

“O PT é o maior partido do Estado, tem dois deputados federais, quatro deputados estaduais, três vereadores na capital, um número de prefeitos e vereadores significativos no interior, o maior número de filiados e de militantes de Sergipe, está à frente de uma década virtuosa de desenvolvimento tanto na prefeitura quanto no Governo, está no exercício do Governo do Estado e tem a presidenta da República, além de uma liderança com a força popular que é Luis Inácio Lula da Silva, que vai estar rodando o país nos palanques dos candidatos do PT e dos nossos aliados”, destaca.

O parlamentar lembrou o processo eleitoral para a Prefeitura de Aracaju em 2012, em que o Partido dos Trabalhadores optou pelo candidato do PSB, Valadades Filho e não por Rogério Carvalho.

“Um partido com esse patrimônio e com essa vocação de vencer e de transformar vai abrir mão de fazer política? Isso não existe. O PT demonstrou muita maturidade nesse projeto. Nós estávamos em pleno auge da nossa força política em Aracaju e nós indicamos um candidato a prefeito que não era do PT, mostrando que não é um partido hegemonista, mas um partido que tem compreensão do seu papel histórico”, afirma.

“O PT agora está apresentando uma composição onde estará no Senado Federal com o governador Marcelo Déda, então é demais pedir que o PT com a força que tem, abra mão de estar na chapa majoritária. Isso é antipolítica e não dá para levar em consideração”, alfineta Márcio Macedo.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais