Ministro Joaquim Barbosa encerra Encontro do Judiciário

0
Presidente eleito do STF, Joaquim Barbosa, fez o discurso do encerramento do evento (Fotos: Portal Infonet)

O VI Encontro Nacional do Judiciário, sediado pela primeira vez no Nordeste, foi encerrado na noite desta terça-feira, 6, com o discurso do presidente eleito do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa. Planejamento estratégico, gestão e o estabelecimento de metas foram os focos do evento que teve o objetivo de modernizar a Justiça e melhorar a prestação de serviços ao cidadão.

Para o Joaquim Barbosa, o evento tem um resultado positivo. “É o judiciário nessa nova fase tentando agir de maneira coordenada sob a égide do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). As metas vêm sendo divulgadas e cumpridas e o nosso objetivo é exatamente avaliar os cumprimentos das metas fixadas no início do ano. É muito importante que todos os tribunais brasileiros tenham essa abordagem voltada para as metas, o que é relativamente novo na história do judiciário brasileiro. Sei que essa é a direção correta a tomar”, destaca o presidente eleito.

Ministro do TST e conselheiro do CNJ, Carlos Alberto Reis, destaca pontos importantes do evento

O ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e conselheiro do CNJ, Carlos Alberto Reis de Paula, destaca pontos importantes do encontro. “Aqui estamos cuidando da justiça brasileira. Daremos preferência aos processos de improbidade administrativa e vamos estabelecer procedimentos que façam com que esse pecado não invada sociedade. Também vamos cuidar de forma muito intensa da comunicação do poder judiciário com a sociedade, criando mecanismos para que nos mostremos e nos comuniquemos internamente”, ressalta o ministro.

Para o corregedor nacional de justiça, ministro Francisco Falcão, o fato de priorizar os julgamentos de processos de improbidade administrativa faz com que o Brasil seja verdadeiramente passado a limpo. “Agilizaremos esses procssos para que a sociedade possa ser contemplada com o julgamento célere e que os culpados sejam condenados e possam pagar com o que a lei prevê. Serão novos tempos para o judiciário. A população vai aprovar essas medidas e exigir novas punições que se fizerem necessárias”, expõe.

Reuniões setoriais foram a novidade da 6ª edição

Encontro

A novidade da 6ª edição do encontro foi as reuniões setoriais de cada ramo de justiça em que os dirigentes do Judiciário poderão discutir questões específicas enfrentadas pelos segmentos Estadual, Federal, Trabalhista, Eleitoral e Militar. A visão do campo jurídico por profissionais de outras áreas, como empresários, jornalistas e professores também foi inovação em 2012.

O público-alvo do encontro, que teve comunicação do Judiciário e combate à corrupção como temas, foram os presidentes, vice-presidentes e corregedores de todos os tribunais do país, além de conselheiros e juízes auxiliares do CNJ.

Por Verlane Estácio e Raquel Almeida

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais