O candidato Antônio Leite fala de suas propostas

0

Antônio Leite (Foto: Divulgação)
O Portal Infonet divulga mais uma entrevista com candidatos ao Senado da República por Sergipe nas eleições de 3 de outubro de 2010. A entrevista deste sábado, 6 é com o candidato do Partido Verde, Antônio Leite. Ele fala dos principais projetos e diz que acredita na revolução das consciências.

Portal InfonetO que o levou a candidatar-se a uma vaga para o Senado da República?
Antônio Leite –
Eu ainda acredito que existe saída. Acredito no ser humano. Acredito na revolução das consciências. Acredito na força do voto pelo qual o homem expressa seus desejos e seus projetos de vida. Acredito e oferto a possibilidade de todos votarem com consciência e dignidade, que é o anseio geral dos eleitores. A minha trajetória histórica em Sergipe, a minha participação na luta pelas políticas públicas sustentáveis em defesa do meio ambiente, em defesa da vida, me credenciam para tanto. Ademais, avalio que tanto no Brasil quanto em Sergipe torna-se necessária uma renovação da representação política em todos os níveis e, diante dessa realidade, apresento meu nome e minhas propostas como um caminho para o novo, o criativo, respeitando valores morais inerentes ao homem. Acredito que precisamos renovar esse quadro político tão viciado que ai está. Não é passível continuar com esta política velha, embolorada.

Infonet – Quais os seus principais projetos caso seja eleito?
AL –
A população tem conhecimento da situação de precariedade das políticas públicas, especialmente nas áreas da Saúde, Educação, Segurança, trabalho e renda, e, por isso trabalharei com afinco, mas focarei minhas ações principalmente para a juventude e às políticas públicas sustentáveis para o Meio Ambiente. Estas são as maiores carências de sociedade e para elas dedicarei atenção especial.  Além desse olhar para essas áreas, tornam-se necessário e urgente que sejam viabilizadas as reformas Política, Previdenciária, Tributaria. Mas a minha maior questão, meu maior empenho será na luta e no movimento pela ética na política. Penso que um povo, ou um segmento dele, sem ética é um povo sem direção. Acredito nas pesquisas que evidenciam que a falta da ética na política constitui uma das maiores carências no contexto brasileiro. A partir daí decorrem os projetos que acima me referi.

InfonetDe que maneira pretende contribuir para o Estado de Sergipe?
AL –
Desenvolvendo um trabalho com dignidade e muita ética. Discutindo com muita transparência as questões cruciais do nosso Estado. Pretendo realmente contribuir mais efetivamente com as áreas da cultura e meio ambiente. Construir condições efetivas para que nosso estado irradie sua tradição e riqueza cultural e contribuir para a construção de um projeto de desenvolvimento sustentável para Sergipe nessas áreas. 

Infonet – Como pretende conscientizar o eleitor de que é o diferencial?
AL –
Minha postura já faz a diferença. Existem duas maneiras de se vencer uma eleição: uma é comprando a dignidade do eleitor; outra é com inteligência. A minha opção é criativa, inteligente, antenada. A minha campanha é expressa nesse patamar e será itinerante, presencial e vai conscientizar a população para uma revolução de idéias onde prevaleçam os valores humanos. Acredito que farei a diferença. Estamos pronto e vamos onde o eleitor está: nas insatisfações e descrenças decorrentes da conjuntura política atual.

Infonet – O que levará em conta na hora de votar no Orçamento da União?
AL –
As necessidades básicas da população, os direitos dos cidadãos brasileiros. Especialmente nessa questão, a postura do parlamentar deve ser de muita ética e é especialmente ai que ele mostra sua coerência. Condeno a pratica de defender verbas e recursos para correligionários a partir de critérios pessoais e políticos. Defendo uma reforma para evitar este tipo de abuso, que é muito freqüente. 

Infonet – Como irá fiscalizar o presidente da República?
AL –
Para isso existem as leis e elas devem ser cumpridas na íntegra. Estarei em parceria com o Ministério Publico, mas, especialmente, em sintonia com os sujeitos coletivos da nossa sociedade e seus movimentos.

Por Aldaci de Souza


 

 

Comentários