Operação Panaceia: médicos e advogados estão em liberdade

0
Operação foi realizada na última quarta-feira, 28 (Foto: arquivo Portal Infonet)

Os médicos e advogados investigados pelo Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária e Administração Pública da Polícia Civil (Deotap), no âmbito da operação Panaceia, estão em liberdade. Os profissionais são acusados de integrar um grupo criminoso que articulava fraudes para a realização de cirurgias em hospitais particulares.

A Secretaria de Segurança Pública explicou que até o momento, o único mandado de prisão expedido pela Justiça envolve uma mulher, que é considerada a “cooptadora dos pacientes”. Os demais envolvidos não tiveram os nomes revelados, mas de acordo com a SSP continuam sendo investigados e provavelmente devem ser indiciados pelo crime de estelionato.

A SSP disse também que o Deotap vai analisar os documentos apreendidos por meio de mandados de busca e apreensão no escritório de advocacia, nas clínicas e residências dos envolvidos.

O Sindicato dos Médicos se pronunciou sobre o fato, afirmando que preza pela apuração e punição efetiva dos envolvidos. O Portal Infonet não conseguiu contato com o Conselho Regional de Medicina em Sergipe (Cremese), mas continua à disposição por meio do telefone (79) 2106 8000 e do email jornalismo@infonet.com.br.

Operação

A operação foi realizada na última quarta-feira, 28. O grupo é acusado ludibriar pessoas que aguardavam procedimentos médicos junto ao Sistema Único de Saúde (SUS). Uma mulher fazia a cooptação de pacientes e o encaminhamento a um determinado escritório de advocacia para que fossem ajuizadas ações em face do Estado. O Deotap identificou nas demandas judiciais repetições de dados e fatos envolvendo pedidos de liminares e observou também que nas intervenções de cirurgias e exames havia valores exorbitantes, bem acima dos praticados no mercado. A fraude está estimada em R$ 800 mil.

por Verlane Estácio com informações da SSP/SE

 

Comentários