Polícia realiza operação em Associação de Militares

0

Momento em que os computadores são apreendidos (Fotos: Portal Infonet)

Na manhã desta quinta-feira, 23, a Polícia Civil de Sergipe e Ministério Público realizam uma operação na sede da Associação dos Oficiais da Polícia Militar e Bombeiros Militares de Sergipe (Assomise).  A operação tem relação com a investigação de verbas de subvenção. Na associação a polícia conversa com funcionários e analisa documentos encontrados. A informação é que o promotor Jarbas Adelino permanece na Assomise.

A operação também foi desencadeada na residência do presidente da Assomise, o major Adriano Reis. O promotor Henrique Ribeiro Cardoso está na casa do presidente da associação.

Mandado começou a ser cumprido por volta das 8h na sede da Associação

Com a operação foram apreendidos vários documentos e computadores. Até o momento os promotores não se pronunciaram sobre a operação. A informação é que o Ministério Público irá se pronunciar sobre a operação durante coletiva que ocorrerá ainda nesta quinta na sede do MP.

Em maio desse ano, o major Adriano Reis prestou depoimento no Tribunal Regional Eleitoral. Associação teve a indicação de R$ 844 mil em verbas de subvenção do deputado Capitão Samuel. Durante o depoimento Adriano Reis disse que estava apresentando toda a documentação à Promotoria. Quanto à prestação de contas e finalidade dos recursos, o presidente da Assomise destacou que tudo estava dentro da normalidade e que utilizou parte dos recursos na reforma da associação, na distribuição de cestas básicas e no pagamento de advogados para prestar assessoria jurídica aos associados.

Major Adriano Reis quando do depoimento no TRE/SE

Uma equipe do Portal Infonet permanece no local e em instantes trará mais informações. Internautas podem encaminhar vídeos e fotos por meio do (079) 21068000, Whatsapp (079) 98015059 ou jornalismo@infonet.com.br.“O volume de transação é corriqueira de prestação de serviços à comunidade. De acordo com o Plano de Apresentação, nós estamos apresentando tudo à promotoria, tudo conforme eles estão solicitado”, afirmou garantindo não ter havido a participação capitão Samuel em benefício da candidatura ao cargo de deputado estadual. “O capitão Samuel só é militar e nosso representante legal, mas não houve benefício nenhum”, enfatizou, durante o depoimento em maio desse ano, Adriano Reis.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais