Prefeita é impedida de entregar materiais ao MST

0

Lara Moura recebe assentados/ Fotos: Ascom Prefeitura Japaratuba
A prefeita de Japaratuba, Lara Moura (PR), foi impedida de entregar materiais [cestas básicas, caixas d’água, lonas, remédios…] a cerca de 430 famílias de um assentamento do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), localizado no município. A proibição partiu do líder do MST na região, conhecido por José Roberto, mas a direção do Movimento garantiu na manhã desta quarta-feira, 26, que o fato “foi uma atitude isolada do líder e que todas as providências já estão sendo tomadas”.

A assessoria da Prefeitura de Japaratuba, explicou que no último dia 17 de abril, a prefeita Lara Moura recebeu em seu gabinete uma comissão composta por seis colonos que foram despejados de uma fazenda e estão vivendo às margens da rodovia no município. Os assentados reivindicaram cestas básicas,

Colonos saíram satisfeitos da reunião
remédios, caixas d’água, lonas e transporte escolar para as crianças. Eles foram comunicados pela prefeita que a entrega seria feita no dia 8 de maio.

“Por três vezes consecutivas o secretário de Transportes, conhecido como Roberto Taxista esteve no Assentamento São João para verificar a demanda das crianças e definir o transporte utilizado [se um ônibus ou uma van]. Para a nossa surpresa recebemos a informação de que a prefeita não podia ir fazer a entrega dos materiais solicitados porque o MST não trabalha desse jeito. Não entendemos nada, pois na época em que o prefeito era do Partido dos Trabalhadores (Padre

Cestas estão sendo distribuídas na Prefeitura
Gerard), a distribuição de cestas era comum nos assentamentos”, destaca o assessor de Comunicação Élton Coelho.

Discriminação

O assessor disse ainda que no período de 8 a 18 de maio, a prefeita Lara Moura visitou todos os povoados de Japaratuba juntamente com a equipes da prefeitura e da Emdagro fazendo a distribuição de sementes. “A distribuição de sementes ou de cestas e outros materiais não tem caráter político até porque a prefeita não é pré-candidata a nenhum cargo, o que demonstra que a decisão dos líderes do MST foi um ato discriminatório”, entende o assessor informando que as famílias estão recebendo os materiais diretamente na prefeitura.

Ato isolado

O coordenador da direção do MST no Estado de Sergipe e do Núcleo da Região Norte, Manoel Farias, conhecido como Messias, afirmou à reportagem que os integrantes do Movimento repudia a atitude do líder de Japaratuba que não permitiu que as famílias recebessem os benefícios.

“Foi um ato isolado e nós da direção do MST já estamos tomando todas as providências cabíveis, pois não sabemos o que fez o líder José Roberto a agir dessa forma. Não existe qualquer determinação da direção para que assentados não recebam cestas básicas ou outros materiais, seja do Governo do Estado, de prefeituras ou de outros órgãos.

Não concordamos que em pleno século XXI e num país regido pela democracia, se cometam atos dessa natureza, indo de encontro às necessidades básicas dos assentados, que estão abertos para negociar com todos que lutam e contribuem com o processo da reforma agrária”, enfatiza Messias.

A reportagem do Portal Infonet tentou por várias vezes ouvir o líder do MST na região de Japaratuba, o José Roberto, mas o telefone celular estava desligado.

Por Aldaci de Souza

Comentários