Prefeito diz que precisa manter isolamento social e criar leitos

0
Prefeito ressalta os números de pessoas com síndromes gripais na capital (foto: AAN)

Com o grande número de pessoas com síndromes gripais e também a subnotificação de pacientes com o Covid-19 em Aracaju, o prefeito Edvaldo Nogueira volta a ressaltar a importância de manter o isolamento social. Em entrevista na manhã desta terça-feira, 14, logo após a sua reunião com o Comitê de Operações Emergenciais ele deixa claro a necessidade de um Mapa Epidemiológico da doença para decidir se dará continuidade ou não ao isolamento.

“Semana que vem os testes chegam e poderemos ter uma noção verdadeira de como está a situação na nossa cidade. Nossa equipe  de epidemiologia está reunida com os técnicos da Universidade Federal de Sergipe para que tenhamos uma noção real de quantas pessoas estão com a doença hoje na capital”, diz.

Edvaldo explica que atualmente Aracaju possui 40 leitos que poderiam atender a pacientes com Covid-19. E a previsão, se o isolamento fosse suspenso hoje, seria que dentro de um mês existiria a necessidade de 1200 leitos de retaguarda e mais 300 leitos de UTI. “Nem Aracaju e nem Sergipe possuem esse número de leitos. Por isso, precisamos permanecer em isolamento, para que tenhamos tempo de construir o Hospital de Campanha e fazermos essa liberação com consciência”, explica.

A Prefeitura de Aracaju fez um Mapeamento da Doença através dos atendimentos nas unidades de saúde do município e foi constatado que 2500 pessoas têm síndromes gripais em Aracaju. “Conseguimos fazer esse mapeamento. Temos a estatística de está com coronavírus, e quantas delas estão nos hospitais e em casa. Iremos atualizar esse boletim diariamente, pois sabemos que existem ainda muitas subnotificações. Não temos certeza, mas acreditamos que mais de 25% da população de Aracaju tem a possibilidade de ter contraído o vírus”, diz.

Aulas

Antecedendo a avaliação prevista para o último dia do decreto na próxima sexta-feira, 17, o prefeito informa que as aulas da rede pública municipal não retornam até o fim de abril.

por Raquel Almeida

Comentários