Prefeitos alegam dificuldades com reajuste do magistério

0
Reunião da Fames discutiu a situação das prefeituras diante do reajuste (Fotos: Portal Infonet)

O presidente da Federação dos Municípios do Estado de Sergipe (Fames), Antônio Rodrigues, o Tonhão, disse nesta quinta-feira, 16, que os municípios são incapazes de cumprir com o pagamento integral do reajuste de 8,32% do piso salarial do magistério. A declaração foi feita durante uma reunião realizada com prefeitos, secretários de Educação e Finanças dos municípios para discutir a situação financeira das prefeituras diante do reajuste.

A reunião realizada para mostrar a realidade das prefeituras faz parte do início caminhada municipalista de 2014 promovida pela Fames. “O objetivo é que possamos mostrar a realidade do quanto esse aumento de 8,32% no piso do magistério vai impactar na folha de pagamento, uma vez que os municípios já ultrapassam seu limite de gastos com a folha de pagamento, que é o percentual de 54 % e muitas vezes os prefeitos não estão cumprindo essa determinação que está na Lei de Responsabilidade Fiscal”, explica.

Presidente da Fames, Tonhão, afirma que prefeituras são incapazes de cumprir o reajuste

De acordo com Tonhão, as prefeituras se sentem impossibilitadas de arcar com o reajuste do magistério, em virtude de já existirem outros diversos percentuais, a exemplo do reajuste do salário mínimo e dos agentes de saúde. “Os municípios vivem só de pagar aumento e não recebem mais nenhuma correção de receita que seja compatível ao acompanhamento das despesas geradas anualmente. Por isso, estamos mobilizados para mostrar ao Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Sergipe (Sintese) essa impossibilidade de pagar o aumento”, justifica ao destacar que uma proposta de negociação será apresentada ao Sintese.

Robson Cardoso, prefeito de Itabaianinha,afirma que é preciso esclarecer que os prefeitos não são contra o piso e o professor. “O que acontece é que temos que ter cuidado com as finanças, pois às vezes, o repasse do Governo Federal não é suficiente para a demanda das despesas. Por isso, é importante que estejamos aqui para discutir as possiblidades e ajudar um ao outro. O piso é um direito da categoria e eles têm que receber o que merece”, comenta.

Reunião contou com prefeitos e secretários de Educação e Finanças dos municípios

Reajuste

O reajuste salarial é uma determinação do FNDE e caso atinga os 8,32%, o reajuste deve representar um aumento de R$ 4,151 bilhões no pagamento do magistério e uma média do comprometimento das receitas do Fundeb com salários dos professores de 79,7%.

Por Verlane Estácio

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais