Prefeituras de SE fecharão as portas dia 29

0

Os prefeitos das associações que compõem os municípios sergipanos se reuniram na tarde de hoje para discutir diretrizes de como administrar as prefeituras por conta da queda na arrecadação. Em primeiro momento já ficou acordado que os gestores vão realizar uma paralisação de advertência no próximo dia 29 para se reunir com a população e autoridades com o objetivo de expor a situação de cada um. Ficou definido ainda no encontro que vai ser produzida e encaminhada uma carta ao presidente Lula, com cópia ao Governador Marcelo Déda para que todas as reivindicações sejam atendidas, a exemplo do adiamento das parcelas do INSS, relaxamento da lei de responsabilidade fiscal nesses meses de crise, que limita a 54% o pagamento da folha de servidores, entre outras.

O prefeito de Santana do São Francisco, Ricardo Roriz (PT), que é também presidente da Associação dos Municípios do Baixo e Vale do são Francisco avaliou a decisão e a reunião dos gestores como proveitosa. “De antemão, a situação é muito grave como já havíamos relatado anteriormente, principalmente por conta da queda da arrecadação do FPM – Fundo de Participação dos Municípios, enviado pelo Governo Federal. Com o anúncio feito ontem pelo presidente Lula, em enviar R$ 1 bilhão aos municípios, já vai dar uma aliviada nos cofres públicos de cada cidade, mas ainda precisamos de outras medidas, a exemplo do adiantamento das parcelas que foram descontadas no envio do FPM nos últimos meses, entre outras coisas. A possibilidade de demissões nas prefeituras é real, principalmente se mantiver o limite de 54% da arrecadação para a folha de pagamento”, destacou Roriz.

O presidente da Associação dos Municípios do Centro-Sul (Amurces) e prefeito de Poço Verde,
Antonio da Fonseca Dórea (PSB), afirmou que apesar do anúncio feito pelo presidente Lula, o valor que será destinado não representa as perdas registradas nos últimos meses. Portanto, é necessário que continuemos em processo de mobilização para que possamos recuperar as perdas de receitas dos últimos meses. Vamos, é claro, buscar entendimentos com as autoridades e pedir sempre o apoio da população, para que eles também entendam que os municípios estão atravessando uma crise. Os reflexos já são sentidos e está sendo muito difícil administrar. Até os serviços públicos estão decaindo, porque não conseguimos honrar com todos os compromissos. Portanto, vamos buscar outras saídas”, declarou o gestor.

O prefeito de Canindé de São Francisco, Orlando Andrade (PDT) também fez relatos na crise do município. “Em Canindé já perdemos com o ISS, ICMS e FPM. A cobrança está bastante grande e está sendo muito difícil de administrar. Vejo a união entre os gestores como a principal saída para o fortalecimento dos municípios e a busca de melhorias junto ao Governo do Estado e Governo Federal. Por esse motivo, fica a decisão de fechar as portas das prefeituras no próximo dia 29. Essa decisão é de extrema importância. Praticamente em todos os estados do Brasil está havendo paralisação. Em Sergipe, não vai ser diferente”, comentou Orlando Andrade.

O prefeito de Barra dos Coqueiros e presidente da Associação dos Municípios do Vale do Cotinguiba, Gilson dos Anjos (DEM) também concorda com a medida de paralisação de advertência. Segundo Gilson, o objetivo da manifestação é tornar pública a situação de crise dos municípios. É bom que se frise que não vamos realizar greve, mas sim um ato público. Vamos também analisar as medidas do Governo Federal como alternativa de saída da crise e tenho certeza que vamos chegar a um entendimento. Por isso estamos aqui unidos por uma causa nobre, comum a todas as prefeituras de Sergipe”, completou Gilson.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais